PUBLICIDADE
Topo

Serguei diz que a única coisa que resta aos 80 anos é "fazer muito sexo"

Fabíola Ortiz

Do UOL, no Rio

20/09/2013 21h31

“Foi fantástico, fiquei feliz da vida”, exclamou Serguei em uma passagem surpresa no Rock in Rio, nesta sexta-feira (20). Prestes a completar 80 anos no dia 8 de novembro, o mito do rock brasileiro foi o convidado especial para dividir o palco montado na Rock Street com Rodrigo Santos, baixista do Barão Vermelho.

Com a tradicional cabeleira, Serguei disse que, quando chegar aos 80, a única coisa que quer fazer na vida é “continuar repetindo o rock’n roll e fazer muito sexo”.

Ainda não sabe como irá comemorar, mas garante: “Eu comemoro dentro de mim com roque... olha só que maravilha”.

Enquanto Frejat abriu a programação do Palco Mundo neste quinto dia de Rock in Rio, o palco que recebe as principais bandas do festival, Rodrigo Santos se apresentou no pequeno palco da Rock St com um repertório de Cazuza, um pouco de Beatles e canções da época do Barão Vermelho.

A atração mais esperada desta sexta-feira (20), quinto dia do Rock in Rio, é a banda Bon Jovi, que tocará sem seu baterista Tico Torres -- internado novamente para uma cirurgia e que será substituído por Rich Scannella. O Palco Mundo recebe ainda Nickelback, Machtbox Twenty e Frejat.

O norte-americano Ben Harper, que se apresenta ao lado de Charlie Musselwhite, é o destaque do Palco Sunset, onde também tocam The Gift e Afrolata e Grace Potter and The Nocturnals e Donavon Frankenreiter.

A vez do rock no Rio

A segunda parte do Rock in Rio, que conta com atrações mais roqueiras e pesadas do que na semana passada, teve início nesta quinta-feira. O destaque da noite foi a apresentação do Metallica, que voltou ao festival após dois anos, com repertório que revirou praticamente toda a discografia da banda em um show de 2 horas e 10 minutos de duração.

O saudosismo também deu as cartas no show dos veteranos do grunge Alice in Chains, que levaram os fãs de volta ao ano de 1992, época em que a banda lançou "Dirt", um de seus álbuns mais celebrados, que ajudou a compor o repertório da apresentação.

Principal palco do festival, o Mundo teve ainda nesta quinta os brasileiros do Sepultura, que tocaram junto com o grupo francês de percussão Tambours du Bronx, e os suecos do Ghost BC, em sua apresentação performática repleta de provocações à igreja católica que não animou muito o público da Cidade do Rock.

Pelo Palco Sunset, passaram nesta quinta-feira dois antigos conhecidos dos fãs de rock no Brasil: o ex-Skid Row Sebastian Bach e Rob Zombie, que já tinha vindo ao país em 1996 à frente da banda de metal White Zombie.