Pianista brasileira que toca sem roupa é tema de documentário na TV alemã

Carlos Minuano
Do UOL, em São Paulo

Ela costuma tocar piano vestida de lingerie ou, algumas vezes, completamente nua. Tudo registrado em vídeo que ela mesma divulga na internet. Recentemente a brasileira Suzy Pianista virou tema de um documentário na TV alemã e, pela primeira vez, vai se apresentar ao público.

Rita Tibes, o verdadeiro nome de Suzy, de 33 anos, fará o primeiro show sem roupa durante o Carnaval deste ano, em Florianópolis (SC), cidade onde vive atualmente. Ela vai apresentar o show "Suzy in Concert" que acaba de criar, uma mistura de teatro com música clássica. "Apareço nua, entre penas e bailarinos. Vai ser um sucesso total", disse ela em entrevista ao UOL.

Mas a experiência é nova para ela, que fazia aparições até então apenas em vídeos. "Nunca fiquei nua em público. Não sei como será". A Suzy Pianista vai se apresentar no evento "Feijoada do Cacau", tradicional em Florianópolis. "Vivemos no país das bundas, do fio dental, das frutas, e a mulher não pode fazer topless. Estranho, não?", questionou Rita. "Mostrar a bunda pode, agora o seio, que é algo tão puro, que oferece a vida, não pode. Esse é o país das contradições", disse ela sobre as críticas que recebeu pela forma como aparece em seus vídeos.

Sucesso na Europa

Depois do sucesso dos vídeos que começou a postar em meados de 2013, e que gerou reportagens em mais de 30 países, Suzy Pianista caiu nas graças da emissora alemã Ruptly TV. O canal enviou uma equipe ao Brasil para gravar o documentário com a instrumentista. "Disseram que sou um sucesso absoluto por lá".

O filme de 45 minutos, que ganhou o título "Sexy pianist bares it all for Chopin" (em tradução livre, "pianista sexy tira tudo para Chopin"), já foi exibido na TV alemã e em outros países. O documentário mostra a garota em sua casa, tocando bem à vontade, e andando por lugares públicos apenas de lingerie. "Foi difícil gravar por causa do assédio", recordou. Com exceção de um vídeo de dois minutos, ela não sabe se a produção chegará a alguma emissora brasileira.

A pianista defende que outras pessoas façam como ela, seja como forma de alavancar a audiência ou para 'elevar o nível das informações'. "Imagina uma comentarista sobre política nua? Acho que muitos homens passariam a gostar mais de política e, quem sabe, conseguiríamos eleger melhores candidatos ao governo".

Suzy Pianista toca Estudo op.10 no. 3 - "Tristesse" de Chopin

Sem arrependimentos
A "pianista nua", como ficou conhecida, garante que topa ficar sem roupa em público, desde que seja por um bom motivo. "Faço sempre que precisar. Se for para chamar a atenção para uma boa causa, tiro a roupa até na frente do Congresso Nacional, na Avenida Paulista ou na praia de Copacabana".

Ela afirma que é uma forma de chamar a atenção para a situação de musicistas e de criticar o machismo. "Se eu não tivesse apelado, nada teria acontecido. Estaria frustrada até hoje". A frustração, segundo ela, é com a difícil vida das musicistas no Brasil. "É um universo dominado pelos homens", critica. "Eu não conseguia trabalho e não era escolhida nas audições. Não aceitam que as mulheres possam ser boas instrumentistas", desabafa.

Foi então que teve a ideia de tocar sem roupa. Ela criou o blog "Pianista sexy" para dar vida à personagem Suzy. "Nos primeiros vídeos não mostrava o rosto, depois que a polêmica estourou na mídia não tinha mais como esconder". Os vídeos em que aparece nua tocando piano provocam uma audiência mais erótica e sensual do que exatamente musical. Ela se defende dizendo que usa seu corpo e sua arte. "É um trabalho inédito. Misturo nudez artística com música clássica. Existe algo mais cult que isso?".

Suzy Pianista toca "Balada Boa", hit de Gusttavo Lima

Mas nem todo mundo entendeu o recado da forma que ela esperava. Depois da exposição na mídia, ela teve que interromper as aulas de piano que dava porque alunos queriam que a professora ministrasse as aulas nua. "Parei com as aulas. Não tinha mais como continuar ensinando homens e adolescentes". Rita disse que recebe uma enxurrada de propostas que não são do universo da música. "Sempre ligam para meu assessor perguntando se eu faço encontro com executivos. Por e-mail sempre recebo propostas de casamento, namoro e até para tocar nua em shows particulares".

A pianista já foi criticada por fortalecer em outros países a imagem negativa que o Brasil tem de exploração sexual feminina, mas ela se defende. "Essa imagem foi o próprio governo que criou, exportando bundas para o exterior", disse ela, referindo-se ao Carnaval, que segundo ela é vendido como uma festa da luxúria. 

Para Rita, a repercussão negativa pode acontecer com as "Marias-chuteiras" e "mulheres frutas". "Meu trabalho é de excelente gosto, e lá fora a mentalidade é diferente do povo daqui. Nudez, sexo, casamento e a própria arte partem de outros princípios".

Ainda assim, ela está animada com a fama. "Acho que sou a primeira pianista nua no mundo". Depois do Carnaval, Rita desembarca em São Paulo, onde pretende seguir com o projeto musical, lembrando que está em busca de um namorado. "Estou livre e desimpedida. Espero em 2014 ter mais sorte no amor". 

Notícias relacionadas



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos