PUBLICIDADE
Topo

Entre o épico e o metal, Nightwish leva clima de fábula ao Rock in Rio

Tiago Dias

Do UOL, no Rio

25/09/2015 19h07

Os finlandeses do Nightwish trouxeram um tom épico a esta noite de sexta-feira (25) no Rock in Rio 2015. Banda querida dos brasileiros, graças também ao carisma das cantoras que já passaram no grupo (Floor Jensen, a atual desde 2013, substituiu Anette Olzon, que havia, por sua vez, substituído Tarja Turunen), o Nightwish tem o foco mais melódico, com visual gótico e uma propensão a transformar cada canção em uma fábula. Foi um show que o público fiel esperava.

Em um dia em que a porrada vem sem rodeios, com bandas como Mastodon e Slipknot, é inegável o poder que o grupo finlandês ainda ostenta. E grande parte disso se deve a Tuomas Holopainen, tecladista e líder da banda. Ele cria sinfonias que parecem se encaixar em trilha sonora de séries como "Game of Thrones", como na pomposa introdução de "Wishmaster", grande sucesso do grupo. Mas é só o guitarrista Erno " Emppu" Vuorinen entrar em ação e o baterista Kai Hahto bater seu bumbo duplo que tudo se torna ainda mais grandioso e metaleiro.

Com uma bota acima do joelho, roupa e uma capa preta --cor dominante no palco--, Floor agitou os marmanjos com bate-cabelo, ajudada por um ventilador voltado para seu rosto.

A música que abriu o show, "Shudder Before the Beautiful", foi recebida com ovação e um mar de mãos em forma de chifrinhos no Palco Sunset. Mas entre as firulas musicais, como uma narração gravada em certos momentos do shows, há bons exemplos de rock básico, como o baixo que sustenta "My Walden", intercalado com flauta e gaita de fole.

O músico finlandês Tony Kakko, vocalista da banda Sonata Arctica, fez uma participação especial e aprofundou ainda mais o clima de conto de fadas (só que ao contrário) em "Last Ride of the Day".

Quer conhecer melhor o Nightwish? Ouça a banda na UOL Música Deezer.