Topo

Música

Zeca Pagodinho não respondeu: UOL explica os diferentes estilos de samba

Reprodução/TV Globo
Zeca Pagodinho é criticado na web após resposta a garoto no "Altas Horas" Imagem: Reprodução/TV Globo

Felipe Branco Cruz

Do UOL, em São Paulo

19/06/2017 12h34

Quando pensamos em sambistas, um dos primeiros nomes que vem à cabeça é o de Zeca Pagodinho. O compositor, no entanto, passou por uma saia justa no último sábado (17), no programa "Altas Horas", da Globo, justamente por não responder a uma pergunta sobre o ritmo mais famoso do Brasil. "Qual é a diferença entre o samba, o partido-alto e o pagode?", foi a pergunta, feita por um jovem da plateia e que desconcertou o artista.

Embora empiricamente Zeca Pagodinho saiba a diferença entre um estilo e outro, de fato, a resposta não é fácil. Mas o que incomodou o público foi a reação ríspida que Zeca teve: "Que pergunta antiga", disse o cantor. Ele estava se referindo ao mesmo questionamento feito por Jô Soares, no programa "Jô Soares Onze e Meia", no SBT, quando ele se atrapalhou todo para responder.

Em seguida Pagodinho emendou: "Poxa, cara, é tão difícil de perceber? E tem que perguntar isso para mim? Vai na avenida que você vai ver o samba-enredo, vai para o morro que você verá o partido-alto e vai para o pagode que você verá o samba de roda".

O rapaz não ficou satisfeito com a resposta e ironizou: "Então, a diferença está no local onde ficam as pessoas?!", disse. Zeca rebateu: "Mas é claro. Não sou eu quem vai te ensinar isso, não".

Ok, se Zeca não quis explicar as diferenças, o UOL explica abaixo as características dos principais estilos de samba. O cantor não estava errado ao dizer que o local onde o ritmo é executado diferencia um estilo do outro, porém outros elementos também estão envolvidos, como os tipos de instrumentos usados e a cadência da música. Confira:

Principais estilos de samba

  • Samba de raiz

    O Samba de Raiz surgiu nos morros cariocas, popularizado no espaço do Cacique de Ramos. Um dos objetivos do grupo era resgatar o samba tradicional, ou de partido-alto, daí o termo "raiz". Foi o Cacique de Ramos, por exemplo, que ajudou a revelar artistas como Arlindo Cruz, Jorge Aragão, o grupo Fundo de Quintal e o próprio Zeca Pagodinho. O samba de raiz se caracterizou pela introdução do banjo nas composições, mas ele também utiliza pandeiro, cavaquinho, cuíca, surdo, violão e violão sete cordas. Leia mais

  • Partido-alto

    No início do século 20, o partido alto era um samba instrumental, de "alto-gabarito". Na década de 40, nos morros cariocas, ele passa a ser cantado por duas ou mais pessoas, em desafios de improvisos em forma de versos. A palavra "partideiro" atualmente é usada para designar os cantores que improvisam versos de samba, seguindo a melodia e o ritmo. O próprio Zeca Pagodinho é um dos expoentes na área, ao lado de outros nomes com Sombrinha, Almir Guineto, Jovelina Pérola Negra e Dudu Nobre. Leia mais

  • Pagode

    Antes da palavra pagode ser utilizada para designar um tipo de samba, ela era utilizada como sinônimo para festa, brincadeira, baile popular, onde se tocavam sambas. Foi só a partir dos anos 70 que a palavra virou uma vertente do samba, representado por grupos como Exaltasamba, Molejo, Raça Negra, com letras mais românticas. O pagode se expandiu pelo Brasil e surgiram subgêneros regionais, como o pagode baiano e o paulista. Leia mais

  • Bossa Nova

    João Gilberto, o criador da "batida da Bossa Nova" até hoje afirma que não toca bossa-nova e, sim, samba. Um dos ritmos mais famosos do Brasil no exterior, a Bossa Nova começou, de fato, como samba. O ritmo só foi ganhar as suas características atuais quando se fundiu com o jazz americano. Suas batidas sincopadas, o jeito de cantar baixinho, quase sussurrando e as letras exaltando as belezas naturais do Brasil são suas principais características. O principal instrumento da bossa nova é o violão e seus principais compositores foram Vinícius de Moraes, Tom Jobim e, claro, João Gilberto. Leia mais

  • Samba de breque

    A principal característica do samba de breque é a pausa que os cantores fazem no meio da música, daí o nome: breque (palavra abrasileirada do inglês break, que significa quebra ou pausa). O samba de breque surgiu nos anos 1920 e ficou conhecido pelas letras satíricas e engraçadas. Quem popularizou o estilo foi o compositor carioca Moreira da Silva, junto com Dicró e Bezerra da Silva. Leia mais

  • Samba-rock

    Como o nome diz, o samba-rock é uma variação do samba com o rock. Ele surgiu nos 1960, na mesma época que o rock chegava ao país. Nos instrumentos, a principal característica foi o uso da guitarra elétrica, do baixo e da bateria junto com o cavaquinho, o violão e outros instrumentos de percussão brasileiros. Ele também ficou conhecido como sambalanço e swing. Seus principais representantes foram a banda Black Rio, Tim Maia, Jorge Ben Jorge, Jair Rodrigues e Wilson Simonal. Leia mais

  • Samba-canção

    O ritmo samba-canção é tão antigo que virou sinônimo para aquelas cuecas grandonas que seu bisavô usava, ou seja, velhas. Ele surgiu nos anos 1920 e como as músicas eram compostas fora da época do carnaval, eram chamadas de "Samba de meio de ano". Os principais intérpretes e compositores do ritmo foram Elizeth Cardoso, Cartola, Nelson Cavaquinho, Ataulfo Alves e também Noel Rosa. As letras falavam sobre amor e eram mais contemplativas. Leia mais

  • Samba-enredo

    O samba-enredo, como o nome indica, é composto para contar a história que a escola de samba vai apresentar durante seu desfile no Carnaval. Atualmente, a composição de um samba-enredo é feita dentro das escolas de samba, que indica aos seus integrantes qual será o tema do desfile de carnaval daquele ano. A composição escolhida vira o samba-enredo cantado durante o desfile de carnaval na avenida. O samba-enredo também é um dos quesitos avaliados pelos jurados na escolha da escola vencedora do carnaval. Leia mais