Topo

Música


Anistia Internacional e Paul McCartney apoiam banda punk Pussy Riot, presa em Moscou

Max Nash/AFP PHOTO
Observado por um policial, ativista da Anistia Internacional entrega a um guarda da Embaixada Russa em Londres uma petição em apoio às integrantes da banda punk Pussy Riot (16/8/2012) Imagem: Max Nash/AFP PHOTO

De Londres

2012-08-16T11:44:37

16/08/2012 11h44

A Anistia Internacional entregou nesta quinta-feira (16) à embaixada russa em Londres uma petição a favor das integrantes do grupo punk russo Pussy Riot, constatou um fotógrafo da AFP, e o ex-Beatle Paul McCartney escreveu a elas uma carta de apoio.

Um dos militantes da Anistia conseguiu entregar o pedido a um guarda da embaixada da Rússia. Segundo a organização, a petição foi assinada por 10 mil pessoas.

  • Reuters

    Nadezhda Tolokonnikova (esq), Yekaterina Samutsevich(c) e Maria Alyokhina, integrantes da banda punk "Pussy Riot"


Nadejda Tolokonnikova, de 22 anos, Ekaterina Samutsevich, de 30, e Maria Alejina, de 24, estão em prisão preventiva há cerca de cinco meses.

As integrantes da banda respondem por acusações de "vandalismo" e "incitação ao ódio religioso" por terem cantado no dia 21 de fevereiro uma "oração punk" na catedral do Cristo Salvador de Moscou, pedindo à Virgem Maria que "expulsasse" o presidente Vladimir Putin do poder.

Por sua vez, em uma carta publicada também nesta quinta-feira, Paul McCartney estimulou as três integrantes do grupo a "serem fortes". No texto, disse a elas que ele "e muitos outros que acreditam na liberdade de expressão farão tudo o que estiver ao seu alcance para apoiá-las e a ideia da liberdade artística".

O músico declarou que espera "que as autoridades russas apoiem o princípio da liberdade de expressão para todos os seus cidadãos".

Outros músicos como Madonna, Sting ou Yoko Ono, viúva de John Lennon, manifestaram seu apoio às Pussy Riot.

O veredicto será pronunciado na sexta-feira (17).