Topo

Música


Morre o cantor de jazz Jimmy Scott aos 88 anos

Andree-Noelle Pot/EFE
Imagem: Andree-Noelle Pot/EFE

De Los Angeles, nos EUA

14/06/2014 06h11

O cantor de jazz Jimmy Scott, conhecido pelo incomum falsete de sua voz fruto de uma rara condição genética, faleceu aos 88 anos, informou a imprensa americana nesta sexta-feira (13), sem revelar a causa do óbito. O músico morreu enquanto dormia, em sua casa, em Las Vegas.

James Victor Scott nasceu em Cleveland, no estado de Ohio, em 17 de julho de 1925, em uma família de dez filhos. Ele começou sua carreira nos anos 1940, gravando com a Lionel Hampton Orchestra, com Charlie Parker e outros. Também enveredou pelo rhythm and blues, atingindo o topo das paradas com "Everybody's Somebody's Fool".

Sua voz inconfundível era consequência da síndrome de Kallmann, uma rara condição genética que o impediu de chegar à puberdade.

Scott começou a gravar usando seu próprio nome na década de 1950. Embora nunca tenha se tornado um nome muito conhecido, seu trabalho influenciou futuras gerações de músicos, como Madonna. Certa vez, segundo o jornal "The Washington Post", ela teria dito que "Jimmy Scott é o único cantor que me faz chorar".

Uma disputa legal retirou das prateleiras seu álbum de 1963 "Falling in Love Is Wonderful", e ele quase largou o mundo da música. Ressurgiu nos anos 1990, com novas gravações e performances. Mais tarde, em 1992, seu álbum "All The Way" foi indicado ao Grammy Awards.

Scott também participou e contribuiu para a trilha sonora da série de televisão "Twin Peaks", do diretor David Lynch, no início da década de 1990.

Música