Música

Em rara entrevista, Dylan diz que Amy Winehouse foi última artista original

Getty Images
Bob Dylan Imagem: Getty Images

Nova York (EUA)

23/03/2017 16h57

Bob Dylan elogiou Amy Winehouse, classificando-a como a última grande artista com estilo próprio, durante uma rara entrevista publicada nesta quinta (23) no site do próprio músico.

Em uma longa conversa com o escritor e jornalista Bill Flanagan, o atual vencedor do Prêmio Nobel de Literatura fez elogios à cantora soul britânica que morreu em 2011, aos 27 anos. "Ela foi a última grande personalidade que viveu por aqui", considerou.

Bob Dylan, de 75 anos, também elogiou duas cantoras vivas influenciadas pelo blues e folk, Valerie June e Imelda May, e, inesperadamente, disse gostar do trabalho da banda galesa de rock Stereophonics.

O compositor também falou de forma muito positiva sobre a lenda do folk Joan Baez, com quem namorou durante um período. O casal terminou nos anos 1960 e, décadas mais tarde, Dylan se desculpou pela forma como a tratou.

"Sua voz era como uma sereia de alguma ilha grega. Apenas o som de sua voz te fascinava, era encantadora", sustentou Dylan.

"Você teria que se agarrar a um mastro como em 'Odisseia' e tapar os ouvidos para não escutá-la. Ela fazia você se esquecer quem era", contou, fazendo referência ao poema épico de Homero.

Divulgação
A cantora Amy Winehouse, que morreu em 23 de julho de 2011, aos 27 anos Imagem: Divulgação

O artista, que faz poucas declarações públicas, praticamente não falou sobre o prêmio Nobel e não viajou à Suécia para recebê-lo. Concordou em conversar com Bill Flanagan antes do lançamento de "Triplicate", uma coleção de três discos que começará a ser vendida em 31 de março, no qual canta músicas famosas na voz de Frank Sinatra.

Para Bob Dylan, reinterpretar a música faz parte do processo criativo. "Sempre há um precedente, quase tudo é cópia de alguma outra", disse, indicando que os compositores muitas vezes se inspiram em artigos da imprensa ou em romances.

"Uma vez que você tem a ideia, tudo que vê, lê, saboreia e cheira se torna uma alusão a isso. É a arte de transformar as coisas", disse.

"Você não serve à arte. A arte serve a você e é apenas uma expressão da vida. Ela não é a vida real."

Em outro momento da entrevista, ele ironizou sobre sua reputação de ser um pouco insensível com outros músicos com quem compartilha o palco.

"Mas por que eles querem sair comigo? Eu saio com a minha banda quando estou em turnê."

Questionado sobre o que vê na televisão de seu ônibus quando está em turnê, Dylan respondeu, provavelmente de maneira sarcástica: "'I Love Lucy', o tempo todo, sem parar".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
do UOL
BBC Brasil - Cultura
do UOL
ANSA
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Chico Barney
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
Reuters
Adriana de Barros
Reuters
Música
do UOL
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
AFP
Da Redação
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
Adriana de Barros
do UOL
Reuters
do UOL
Topo