Topo

Música


Autópsia de Amy Winehouse é inconclusiva, segundo polícia

Os pais de Amy Winehouse, Mitch e Janis Winehouse, olham os presentes deixados pelos fãs em frente à casa da cantora em Londres e lamentam a morte da filha (25/7/2011) - Luke Macgregor/Reuters
Os pais de Amy Winehouse, Mitch e Janis Winehouse, olham os presentes deixados pelos fãs em frente à casa da cantora em Londres e lamentam a morte da filha (25/7/2011) Imagem: Luke Macgregor/Reuters

25/07/2011 14h05Atualizada em 25/07/2011 15h15

A autópsia feita em Amy Winehouse ainda não definiu o motivo da morte da cantora, segundo a Polícia Metropolitana Britânica. De acordo com as autoridades, os exames toxicológicos deverão determinar o que matou a cantora de 27 anos no sábado (23); os resultados devem sair em uma ou duas semanas.

Os pais de Amy, consternados, identificaram o corpo da artista nesta segunda-feira (25). Eles também foram à casa da cantora agradecer o apoio dos fãs, que permanecem em frente ao imóvel rezando por ela.

A médica legista que a examinou abriu e adiou um inquérito para a morte inexplicada, deixando os pais de Amy livres para planejarem seu funeral. O enterro está previsto para ser realizado nesta terça-feira (26). Em comunicado divulgado hoje, a médica Sharon Duff disse que o local em que Amy foi encontrada foi examinado e que não foi encontrado nada suspeito.

Na Grã-Bretanha, sempre que alguém morre violentamente ou em circunstâncias inexplicáveis é aberto inquérito. O inquérito deve ser retomado em 26 de outubro, diz a médica legista Suzanne Greenaway.

O pai de Amy, Mitch Winehouse, agradeceu os buquês, velas e cartas deixados por fãs em frente à casa da diva. "Não consigo dizer o que tudo isso significa para nós - realmente está nos ajudando", disse. "Estamos arrasados e sem palavras, mas agradeço a todos que estão aqui."

A mãe da cantora, Janis, chorou quando viu as homenagens trazidas pelos fãs. A maioria dos objetos expressava o mesmo sentimento: "Que desperdício".

A cantora morreu neste sábado (23) após lutar contra o vício de muitos anos em drogas e álcool. O corpo de Amy foi encontrado em sua casa por um segurança dela. O serviço de emergência foi acionado, mas não chegou a tempo de salvá-la.

Amy Winehouse era conhecida por lutar com seus demônios publicamente, em notícias sobre seu consumo de drogas, seus relacionamentos e seus shows cancelados. Hoje, no entanto, ela foi lembrada com carinho por seus vizinhos em Camden, Londres.
 

"Ela era muito jovem para morrer e tão talentosa e linda", disse Peggy Conlon, dona do pub Dublin Castle, local que a cantora costumava frequentar. "Todo mundo vai sentir falta dela, ninguém tem nada de mau para falar a respeito daquela garota."

Em junho, Winehouse cancelou sua turnê européia depois de aparecer cambaleante e quase sem conseguir cantar em seu primeiro show na capital sérvia, Belgrado. Após ser vaiada, seu empresário disse que ela voltaria para casa para se recuperar. Sua última aparição pública ocorreu na quarta-feira (20), no show de sua protegida Dionne Bromfield.

O ator Russell Brand, ex-viciado, escreveu um tributo em que pede à mídia e ao público para mudar a percepção "criminosa ou romântica" que se tem do vício em drogas. "Winehouse e eu compartilhamos essa aflição do vício. Isso é uma doença séria, que termina na cadeia, no hospital ou em morte", disse.

Gennaro Castaldo, dono da rede de lojas de discos HMV, disse que "Back to Black" foi o disco mais vendido de todos os tempos. O álbum também esteve em primeiro lugar na iTunes em diversos países, tais como Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha e Canadá.

Celebridades continuam fazendo tributos à artista, cujo interesse une gêneros e gerações. No Twitter, o cantor George Michael a chamou de "a vocalista mais verdadeira que esse país já viu". "Espero que descanse em paz", disse.

A cantora Adele, que pertence à geração de cantoras surgidas após o grande sucesso de Amy, fez o seguinte pronunciamento em seu site: "Ela preparou o caminho para artistas como eu e fez as pessoas se interessarem novamente pela música britânica. Apesar de eu estar incrivelmente triste com a morte de Amy, sinto muito orgulho dela e sou muito agradecida por ter sido inspirada por ela."

Música