Topo

Música

Há 50 anos, Beatles iniciavam em Hamburgo fase que antecedeu o fenômeno

EFE
Foto dos Beatles em uma de suas primeras apresentações no clube "Indra" nos anos 60, exposta no museu da "Beatelmanóa" de Hamburgo, na Alemanha (18/08/2010) Imagem: EFE

18/08/2010 17h41

Deve ter sido uma experiência e tanto para os cinco garotos de Liverpool: na manhã de 17 de agosto de 1960, os músicos, que somente há pouco se apresentavam sob o nome The Beatles, chegaram a Hamburgo, na Alemanha, desembarcando num ambiente no mínimo peculiar.

O bairro era St. Pauli, cheio de bordéis, casas de strip-stease e bares de marinheiros. E foi num desses locais, o Indra, que John Lennon, Paul McCartney, George Harrison, Stuart Sutcliffe e Pete Best fizeram sua primeira apresentação na cidade alemã, para um público formado por prostitutas e seus clientes.

Os Beatles ainda eram desconhecidos e estavam longe do sucesso que alcançariam anos mais tarde como os "quatro fabulosos". E eram também muito jovens. O mais velhos dos cinco, Sutcliffe, mal havia completado 20 anos. O mais novo, Harrison, tinha 17 --e escondia a idade.

Foi o empresário Alan Williams quem agenciou os primeiros shows dos Beatles em Hamburgo. A proposta era tentadora: 100 libras por semana, equivalente hoje a mais ou menos 3.000 euros. "Depois de tocar, eles costumavam voltar para tomar um café com torrada. Se você quisesse torrada com marmelada, tinha de pagar um penny a mais. Ainda posso ver McCartney dizendo a Lennon: 'você está louco, isso custa um penny a mais!'", relata Williams.

Acomodação precária
Os Beatles tocavam todas as noites, até oito horas seguidas. No Indra, eles dividiam o palco com as strippers --quando a banda fazia uma pausa, era a vez de as garotas subirem ao palco para fazer sua performance. O proprietário do Indra era Bruno Koschmider, então um dos principais empresários da noite de Hamburgo. Além de vários clubes, ele era dono de um cinema, o Bambi Kino, que exibia filmes pornôs. Foi atrás do telão do Bambi Kino que Koschmider acomodou os Beatles.

O beatlemaníaco Ulf Krüger, que fez amizade com a banda na época, lembra de dois cômodos sem janelas, pouco iluminados, ao lado do banheiro masculino. "A área desse alojamento era de 16 metros quadrados. Os músicos dormiam em antigas camas de campanha. Como lavabo eles usavam a pia do banheiro masculino que ficava ao lado", conta Krüger.

Do Indra os Beatles foram para um clube maior, o Kaiserkeller, também de propriedade de Koschmider. O primeiro show deles no novo palco foi em 4 de outubro de 1960, e eles se apresentariam lá até o final do mês, quando abandonaram definitivamente Koschmider. O novo clube era o Top Ten. O dono, Peter Eckhorn, oferecia mais dinheiro, um equipamento de som melhor e um lugar descente para dormir.

A rescisão do contrato com Koschmider originou uma das histórias mais antológicas da primeira passagem dos Beatles por Hamburgo: quando McCartney e Best voltaram ao Bambi Kino para pegar suas coisas, encontraram o local na maior escuridão. Eles então penduraram uma camisinha num prego na parede do local e tocaram fogo nela.

Não houve maiores danos, mas Koschmider registrou queixa na polícia por tentativa de incêndio. McCartney e Best foram detidos, passaram algumas horas na prisão e acabaram deportados no início de dezembro. Por ser menor de idade, esse também já havia sido o caso de Harrison. Koschmider também o havia delatado.

Os anos de formação
O único dos Beatles a permanecer em Hamburgo foi Sutcliffe. Ele preferiu ficar com a namorada, a alemã Astrid Kirchherr, e só voltou para Liverpool em janeiro. Sutcliffe optaria em definitivo por Hamburgo em abril de 1961, quando os Beatles voltaram para uma segunda temporada de apresentações no Top Ten. Ele deixou a banda para estudar arte e viria a falecer um ano depois, pouco antes da terceira temporada de shows dos Beatles na cidade.

Em 1962 os Beatles fariam mais três temporadas em Hamburgo, desta vez no Star-Club. A primeira foi em abril, a segunda, em novembro e a terceira, em dezembro. Estudiosos e beatlemaníacos são unânimes em afirmar que os anos em Hamburgo marcaram o amadurecimento dos Beatles --as noites seguidas de apresentações desenvolveram as habilidades performáticas dos músicos e os transformaram numa banda coesa.

"Nosso ponto alto como banda ao vivo alcançamos em Hamburgo", diria Harrison mais tarde. "Nós tínhamos que ser muito bons como banda para tocar oito horas todas as noites". Ou, nas palavras de Lennon: "Não teríamos nunca evoluído tanto se tivéssemos ficado em casa. Eu posso ter nascido em Liverpool, mas me tornei um adulto em Hamburgo".