Música

Com quase quatro meses de atraso, Bob Dylan recebe o Nobel de Literatura

MANDEL NGAN/AFP
29.mai.2012 - O presidente dos Estados Unidos Barack Obama dá medalha presidencial da liberdade para Bob Dylan Imagem: MANDEL NGAN/AFP

De Berlim (Alemanha)

01/04/2017 19h11

O cantor americano Bob Dylan recebeu neste sábado em Estocolmo o diploma e a medalha do Nobel de Literatura, quase quatro meses depois da cerimônia oficial de entrega dos prêmios, à qual não compareceu.

Vários membros da Academia Sueca, entre eles a secretária permanente, Sara Danius, e seu antecessor, Horace Engdahl, confirmaram à televisão pública da Suécia "SVT" a presença do músico na cidade.

Como se esperava, a entrega aconteceu de forma íntima e sem a presença dos veículos de imprensa. Dylan se encontra em Estocolmo para dois shows neste fim de semana e Danius antecipou na quarta-feira passada em seu blog que iria a um deles.

Aproveitando a estadia do astro na cidade, foi combinado que a entrega do prêmio ocorreria em um encontro "pequeno e íntimo" e sem imprensa, seguindo os desejos do cantor, de 75 anos.

Apenas um dia antes, no mesmo blog, a secretária da Academia revelou que os dirigentes estavam há meses sem falar com o músico e lembrou que a cerimônia de entrega do prêmio - necessária também para dar as 8 milhões de coroas suecas (US$ 900 mil) - deveria ocorrer até o dia 10 de junho.

Após marcar o encontro com Dylan para este fim de semana, Danius explicou que esperavam receber posteriormente e gravação do discurso de aceitação, o que já tinha ocorrido em outras ocasiões.

Dylan foi premiado com o Nobel no dia 13 de outubro por criar "novas expressões poéticas dentro da grande tradição da canção americano". O músico confirmou pouco depois que aceitava o prêmio, mas em meados de novembro a Academia anunciou que ele não estaria na cerimônia de entrega, prevista para o dia 10 de dezembro.

"Ele queria poder receber o prêmio pessoalmente, mas outros compromissos o impossibilitaram", afirmou a instituição em comunicado no qual mostrava respeito a decisão e lembrava que o fato de um premiado não ir a Estocolmo era pouco frequente, embora não excepcional.
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Matias
Reuters
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
Chico Barney
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
Reuters
do UOL
do UOL
Blog do Matias
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
Adriana de Barros
UOL Entretenimento
UOL Música - Imagens
do UOL
Adriana de Barros
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
do UOL
BBC Brasil - Cultura
do UOL
ANSA
Topo