Topo

Música

Anitta quer um "Rock in Rio" para chamar de seu e fala sobre ser mãe

Reprodução/Instagram
Anitta pensando cada vez maior Imagem: Reprodução/Instagram

Carolina Radu

Rio de Janeiro (BRA)

13/12/2017 15h08

Aos 24 anos, Anitta pode considerar que já tem uma trajetória de destaque na música brasileira, mas ainda vê desejos a realizar, como, por exemplo, organizar o próprio festival e fazer outras parcerias internacionais, entre elas com o rapper canadense Drake.

"Adoro Daddy Yankee, sempre escuto muito as músicas dele, o Bad Bunny também, mas eles são pessoas mais possíveis para mim, por eu conhecer a galera do meio do meio. Farruko também. Já no mercado em inglês, acho que o Drake é um sonho de consumo", afirmou a cantora em entrevista à Agência Efe em sua casa, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Não é de hoje que ela vem abrindo esse caminho. Com parcerias com Maluma e J. Balvin, entre outros artistas, Anitta disse que viu no reggaeton a oportunidade de trazer algo novo para seu público no Brasil.

"Há uns dois ou três anos, eu viajei para alguns países de língua espanhola para entender o tipo de música que o mercado popular ouvia, que seria compatível com o que o meu público no Brasil escutava, e aí eu conheci o reggaeton. Eu sempre quis trazer novidades para o meu público, de música, de parcerias, de ritmos, e o reggaeton foi uma dessas oportunidades", argumentou a cantora, para quem o funk e o estilo latino têm muitas semelhanças.

Em relação à possibilidade de fazer carreira internacional, Anitta disse não ver a diferença de idioma como um problema. Para ela, o fundamental é ter perseverança.

"A língua é uma barreira grande, mas não extrema. O mercado sempre vai preferir consumir a língua local, mas se você persistir e mostrar que é possível eles acabam consumindo o que você toca também", defendeu.

Por enquanto, Anitta não pensa em uma turnê fora do Brasil. Seu objetivo, atualmente, é fortalecer o trabalho que já vem fazendo no exterior, para só depois pensar em show fora

"Primeiro eu quero concentrar a minha energia e o meu esforço em divulgar o trabalho e torná-lo grande nesses mercados, para depois sair com a minha música para me apresentar", justificou.

Outra meta da cantora é ter um festival. Entre um show e outro, Anitta idealiza o seu próprio evento no Brasil, um plano que vem nutrindo há algum tempo, apesar de ainda não ter estipulado uma data.

"Tenho essa vontade, sim. Estou mexendo alguns pauzinhos, mas não é tão rápido, principalmente pelo fato de que eu estou, ao mesmo tempo, gerindo várias outras coisas na minha carreira e a carreira de outras pessoas. São muitas coisas, então não é com a mesma rapidez que seria se eu tivesse cuidando apenas disso. Se eu tivesse cuidando apenas disso, seria bem mais rápido", afirmou.

Com a carreira a mil, a garota nascida em Honório Gurgel, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro, apontou que seu objetivo a curto prazo é continuar trabalhando para conquistar o que for possível.

"Eu estou realizando todos os meus sonhos. Tinha muita vontade de fazer uma música entrar nos tops globais, e já tenho isso. Esse era um sonho que eu não sabia quando iria alcançar. Nem imaginava que este ano eu conseguiria isso e aconteceu", disse.

"Não tenho a ambição de ser a maior do mundo, a maior das maiores em tudo. Só desejo que as coisas aconteçam do tamanho que elas têm que acontecer. Espero dar continuidade a isso", acrescentou.

A pausa para ser mãe, que chegou a ser especulada pela imprensa, por enquanto, ela deixa no ar.

"Tenho essa vontade, mas não tenho certeza de quando ainda. Daqui a cinco anos eu vou parar? Não sei. Pode ser antes, pode ser depois", afirmou.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!