Topo

Música


Produtor do Metal Open Air acusa sócio de "sequestro e agressão"

Produtor paulistano Felipe Negri mostrou no Facebook a foto da agressão que sofreu - Reprodução/Facebook
Produtor paulistano Felipe Negri mostrou no Facebook a foto da agressão que sofreu Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Luis (MA)

22/04/2012 03h27

O produtor paulistano Felipe Negri, da Negri Concerts, acusou o dono da Lamparina Produções, Natanael Jr., de "agressão e sequestro" por meio de sua página no Facebook. As duas empresas atuam juntas na produção do problemático festival Metal Open Air, em São Luís, no Maranhão.

Negri publicou a foto de um ferimento na testa junto com uma longa mensagem. "Galo que eu ganhei após o sequestro e agressão que sofri junto com a minha noiva e equipe por mando do Sr. Natanael Ferreira Junior, dono da Lamparina produções", disse.

Durante a confusão que precedeu o cancelamento das últimas bandas deste sábado (21), os dois foram vistos nos bastidores trocando acusações sobre a responsabilidade dos problemas do festival. 

Leia a nota na íntegra:

"CRIME: Galo que eu ganhei após o sequestro e agressão que sofri junto com a minha noiva e equipe por mando do Sr. Natanael Ferreira Junior, dono da lamparina produções (a empresa que foi responsável por 100% dos problemas do MOA)! Sim, SEQUESTRO e AGRESSÃO! Me arrependo até o último fio de cabelo de ter feito o booking de um festival como esse à uma empresa como essa. Só posso pedir perdão aos fãs e amigos. Todos que ja foram para shows da NEGRI CONCERTS sabem do nosso respeito e profissionalismo. Sou homem e aqui eu estou para QUALQUER explicação." 

Segundo dia é marcado por atraso e mais cancelamentos

Com sete horas de atraso, o Festival Metal Open Air começou com a banda maranhense Ácido, às 18h. O Ácido estava programado para tocar inicialmente no palco El Diablo, às 12h deste sábado (21), e virou atração do palco principal.

Os três principais nomes internacionais que tocariam hoje já anunciaram que não farão os shows: o supergrupo Rock N'Roll All-Stars, a banda de thrash metal Anthrax e os alemães do Blind Guardian.

À essa altura, os cancelamentos já atingem pelo menos 15 das 40 bandas anunciadas originalmente para os três dias de festival.

No início da tarde deste sábado, o festival chegou a sofrer ameaça de cancelamento já que, descontentes com a falta de pagamento, fornecedores de caixas de sons começaram a desligar os equipamentos que estavam no palco, informou Felipe Negri, da Negri Concerts, uma das produtoras do evento.

A reportagem do UOL no local apurou que os camarins estavam sendo desmontados, mas a produção estava trabalhando na montagem de um dos palcos. Sem confirmação, o público aguardava um possível início de shows debaixo de chuva.

Também foi confirmado pela organização do evento o cancelamento da participação do Anthrax. Outra banda que desisitiu de participar do evento foi a Blind Guardian. Em sua página do Facebook, a banda disse que cancelou a apresentação por conta do alto número de problemas técnicos e administrativos. "Entendemos que a produção não foi capaz de proporcionar um ambiente adequado para o festival", escreveu a banda em comunicado.