PUBLICIDADE
Topo

Roxette traz música nova, mas prioriza antigos sucessos em show em São Paulo

Dupla sueca Roxette se apresenta em São Paulo (10/5/2012) - Fernando Donasci/UOL
Dupla sueca Roxette se apresenta em São Paulo (10/5/2012) Imagem: Fernando Donasci/UOL

Taís Toti

Do UOL, em São Paulo

10/05/2012 22h23Atualizada em 11/05/2012 13h08

"Vamos tocar umas músicas velhas para vocês", disse o vocalista e guitarrista Per Gessle nesta quinta-feira (10) durante a apresentação do Roxette em São Paulo, no Credicard Hall. Apesar de ter duas músicas lançadas nesta década, o show priorizou os sucessos antigos, como uma versão atualizada de “Don't Bore Us, Get To The Chorus!”, coletânea lançada em 1995 e da qual 12 das 18 músicas estão no setlist.

“How Do You Do”, “The Look”, “Fading Like a Flower (Every Time You Leave)” e “Dressed for Success” relembraram o final da década de 1980 e começo da 1990, e os mais fanáticos foram presenteados com a sequência “Perfect Day” e “Things Will Never Be The Same”, ambas faixas menos conhecidas do disco “Joyride”.

O público, que não era dos mais animados, recebeu bem as duas canções novas, “She's Got Nothing On (But The Radio)”, do álbum de 2011 “Charm School”, e o novo single “It's Possible”, a única novidade do show de 2012 em relação à turnê realizada no Brasil em abril do ano passado.

 

A vocalista Marie Fredriksson, que sobreviveu a um câncer no cérebro diagnosticado em 2002 e teve sua memória e capacidade de ler afetadas, estava sorridente e carismática, mas não se movimentava muito no palco. Quem cumpria a função de animar o público era Per Gessle, que corria de um lado para o outro com sua guitarra.

Em “It Must Have Been Love”, ele lembrou que a música faz 25 anos em 2012. "Ela nos levou da gelada Suécia para a quente Hollywood", contou. A partir da metade do show, foi ele quem se destacou, compensando a leve --porém notável-- perda de extensão vocal de Marie. Gessle cantou sozinho um trecho de “Crash! Boom! Bang!” antes da banda tocar a versão original, e logo depois foi favorecido pelo setlist com a sequência de duetos “How Do You Do”, “Dangerous” e “Joyride” --nesta última, o público jogou para o alto bolas com o nome da dupla.
 
A apresentação dos integrantes da banda, momento normalmente burocrático, foi divertida e original com o Roxette. O baixista Magnus Börjeson mostrou ao público um sintetizador que foi usado por Per Gessle para compor, e brincou em português que o instrumento é apelidado de “máquina do sexo azul sueca”. Já o guitarrista Christoffer Lundquist ganhou o público tocando o hino nacional brasileiro.
 
Os sucessos românticos “Spending My Time” e “Listen to Your Heart” foram o momento em que Marie e Gessle deixaram o refrão para o público, que além de cantar empunhava suas máquinas fotográficas e celulares. Mas a escolhida para fechar o show foi “Church of Your Heart”, do álbum “Joyride”. Os músicos se alinharam na frente do palco para uma versão acústica em que Per Gessle tocou gaita. A despedida foi emocionada mas também clichê, com Marie Fredriksson envolvida em uma bandeira do Brasil.
 
O Roxette abriu a turnê brasileira na terça-feira (8) em Curitiba, com repertório idêntico ao do show de São Paulo. A dupla sueca também se apresenta no Rio de Janeiro (Citibank Hall) no dia 12, vai para Brasília (Ginásio Nilson Nelson) no dia 15, e finaliza os shows no Brasil no Recife (Chevrolet Hall) no dia 18.

Veja as músicas que o Roxette tocou no show em São Paulo:

"Dressed for Success"
"Sleeping in my Car"
"The Big L"
"Silver Blue"
"Stars"
"She's Got Nothing On (But The Radio)”
"Perfect Day"
"Things Will Never Be The Same"
"It Must Have Been Love"
"It's Possible"
"7Twenty7"
"Fading Like a Flower (Every Time You Leave)"
"Crash! Boom! Bang!"
"How Do You Do"
"Dangerous"
"Joyride"

Bis

"Spending My Time"
"The Look"
"Listen To Your Heart"
"Church of Your Heart"