PUBLICIDADE
Topo

Assassino de John Lennon tem liberdade condicional negada pela sétima vez

Mark David Chapman, assassino de John Lennon, em foto divulgada pela polícia de Nova York (9/12/1980) - AFP
Mark David Chapman, assassino de John Lennon, em foto divulgada pela polícia de Nova York (9/12/1980) Imagem: AFP

Do UOL, em São Paulo*

23/08/2012 12h00

O assassino de John Lennon, Mark David Chapman, teve liberdade condicional negada pela sétima vez. O homem, hoje com 57 anos, disparou cinco tiros contra o ex-Beatle em Manhattan, em dezembro de 1980. Um ano depois, Chapman foi condenado à prisão perpétura pelo morte do músico, cantor e compositor que tinha 40 anos.

"Sua libertação neste momento afetaria de maneira importante o respeito pela lei e tenderia a banalizar a trágica perda humana que você causou como resultado de seu crime atroz, não provocado, violento, frio e calculado", afirmam os membros do conselho da liberdade condicional em um comunicado.

No comunicado, os membros ainda disseram que foram considerados a boa conduta de Chapman, seus avanços educacionais, apresentação positiva, o remorso e cartas de apoio. "No entanto, não deve ser concedida a liberdade condicional por bom comportamento", concluíram. Um novo pedido de liberdade condicional poderá ser feito em dois anos.

(Com informações da AP)