PUBLICIDADE
Topo

Liga Católica ironiza clipe polêmico e chama David Bowie de "idoso bissexual"

David Bowie, Marion Cottilard e Gary Oldman em "The Next Day" - Reprodução
David Bowie, Marion Cottilard e Gary Oldman em "The Next Day" Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

09/05/2013 10h37

O último vídeo de David Bowie, "The Next Day", no qual o músico aparece como um profeta, na companhia de Gary Oldman e Marion Cotillard, causou comentários sarcásticos da Liga Católica.

Em nota no site oficial, o presidente do grupo religioso, Bill Donohue, ironizou o vídeo e chamou Bowie de “rebatedor, idoso bissexual de Londres”. “É (um trabalho) repleto de excesso característico”, escreveu.

O termo switch-hitting, usado na nota, se refere ao jogador que rebate com as duas mãos em um jogo de beisebol, mas também é usado, informalmente, para definir bissexualidade.

O clipe, que agora aparece com restrição de idade no YouTube, traz sacerdotes brincando com mulheres seminuas em uma boate onde Cristo, interpretado por Bowie, se apresenta.



"Em suma, o vídeo reflete o artista - é uma bagunça", Donohue escreveu, lembrando as declarações de Bowie ao longo dos anos sobre religião.

O vídeo dirigido por Floria Sigismondi chegou a ser retirado do YouTube erroneamente. "Com o volume enorme de vídeos em nosso site, por vezes fazemos uma avaliação errada. Quando é trazido à nossa atenção que um vídeo foi removido por engano, agimos rapidamente para restabelecê-lo", disse o porta-voz do Google.

O vídeo aparece agora no Youtube com uma advertência de conteúdo que explica que "pode ser inadequado para alguns usuários" e solicita a confirmação de idade para sua visualização.

"The Next Day" corresponde ao single que dá nome ao álbum com o qual o músico britânico pôs fim a uma década de silêncio.
Bowie surpreendeu os fãs e a indústria da música, em janeiro, com o lançamento inesperado do single "Where Are We Now?" em seu aniversário de 66 anos, e com o anúncio de que um álbum de gravações novas seria lançado em março.

O novo disco o colocou de volta no topo das paradas britânicas pela primeira vez em 20 anos.