Música

Tecladista Ray Manzarek, fundador do The Doors, morre aos 74 anos

Do UOL, em São Paulo*

20/05/2013 18h39Atualizada em 20/05/2013 20h58

O tecladista Ray Manzarek, um dos fundadores do The Doors, morreu aos 74 anos na Alemanha após complicações por conta de um câncer no ducto biliar. A informação foi confirmada pelo perfil oficial da banda no Twitter e no Facebook nesta segunda-feira (20).

ESCUTE MÚSICAS DO THE DOORS

Manzarek morreu às 12h31 no horário da Alemanha, na cidade de Rosenheim, onde estava internado. Na hora da morte, ele estava cercado pela mulher Dorothy Manzarek e pelos irmãos Rick and James Manczarek no centro médico RoMed. Não foram divulgadas informações sobre o velório e o enterro do músico.

Além da mulher e dos irmãos, Manzarek deixa o filho Pablo.

Carreira

O artista fundou o The Doors em 1965, quando encontrou o poeta Jim Morrison em Venice Beach, na costa oeste dos Estados Unidos.

Entre os sucessos da banda conhecidos internacionalmente estão, entre outros, "Light My Fire", "L.A. Woman" e "Riders on the Storm".

Manzarek foi o responsável pela assinatura sonora do The Doors, incluindo o órgão marcante em canções como "Light My Fire". Outros sucessos incluíram "Break On Through to the Other Side," "The End" e "Hello, I Love You."

Em 1998, ele escreveu o best-seller sobre sua vida na banda, intitulado "Light My Fire: My Life with The Doors" ('Light My Fire': Minha vida com o The Doors, em tradução livre). No longa "The Doors: o Filme" (1991), de Oliver Stone, ele foi interpretado por Kyle McLachlan.

O The Doors foi uma das maiores bandas dos anos 1960, vendendo mais de 100 milhões de álbuns, e ganhando 19 discos de ouro, 14 de platina e cinco de multi-platina só nos Estados Unidos.

Morrison, o carismático vocalista do grupo que revolucionou o rock psicodélico, morreu repentinamente, em 1971, aos 27 anos, decretando o fim de seu auge, embora o The Doors tenha continuado a se apresentar e a fazer músicas com diferentes formações.

O corpo do cantor foi encontrado dentro da banheira do apartamento que mantinha em Paris e chocou os fãs da banda. Como nunca foi submetido a uma necropsia, várias teorias conspiratórias surgiram para explicar a sua morte. Seus restos mortais acabaram sendo sepultados no cemitério Père Lachaise, na capital francesa, ao lado de outros notáveis, como os escritores Marcel Proust, Gertrude Stein e Oscar Wilde.

Jim Morrison mudou-se para Paris depois do lançamento de "L.A. Woman", em 1971, e viveu no distrito do Marais, na época fora do circuito badalado da capital francesa, com a companheira Pamela Coulson. Foi ela quem o encontrou morto e a causa da morte oficialmente mencionada foi ataque cardíaco.

Manzarek, que se empenhou por manter acesa a chama do The Doors, chegou a sugerir outra possibilidade. Lembrando uma conversa mantida com Morrison em 1970, ele questionou se o intenso vocalista não teria simplesmente fingido a sua morte para iniciar uma nova vida incógnito.

Depois da morte do amigo e companheiro de banda, em 1971, Manzarek deu prosseguimento a sua carreira como autor bem sucedido e artista nomeado ao Grammy. Uma das marcas de Manzarek era a de conseguir substituir o baixo com suas melodias no teclado, já que a banda não possuía um baixista.

Em 2002, Manzarek voltou a tocar com Robby Krieger, guitarrista do The Doors e idealizador de "Light My Fire", em turnê para reviver o nome da banda, uma dos principais grupos da década de 1960.

Ao comentar sobre a morte do companheiro de banda, Krieger afirmou estar arrasado. "Eu sou grato por ter recebido a oportunidade de tocar as músicas do Doors com ele na última década", disse. "Ray era uma grande parte da minha vida e eu sempre sentirei sua falta.

Repercussão

O ator Elijah Wood e o guitarrista Slash se manifestaram rapidamente após o anúncio da morte.

Wood afirmou estar triste com a notícia. "O fim. Triste ouvir sobre o falecimento de Ray Manzarek". "O fim" é a tradução em português de "The End", uma das músicas mais famosas do grupo.

Já Slash disse que não tinha sequer palavras para descrever o sentimento. Para o vocalista da banda britânica The Charlatans, hoje é um dia triste para a música.

* Com informações da AFP

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

EFE
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
UOL Música - Imagens
Blog do Matias
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Matias
Música
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
TV e Famosos
AFP
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
Blog do Matias
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
Blog do Matias
do UOL
Topo