Topo

Música

De transparência a "Ilariê do demônio", relembre os discos da Xuxa

Do UOL, em São Paulo

10/08/2013 07h41

Com 30 anos de carreira na televisão e mais de 30 milhões de discos vendidos, a apresentadora Xuxa reuniu os álbuns que fizeram mais sucesso em sua trajetória e lançou a coleção “Xou da Xuxa”. A coletânea é uma viagem no tempo com mais de 100 hits dos discos 1 a 7 do “Xou da Xuxa", e uma seleção de músicas inéditas feita por fãs.

Depois de 27 anos do lançamento do primeiro LP, “Xou da Xuxa”, o UOL voltou a 1986 e percorreu as principais curiosidades dos álbuns até o fim da década de 90. Entre as polêmicas estão: a capa do primeiro disco em que Xuxa usa uma camisa transparente, a música “Ilariê” (que seria cantada para o demônio), o hit feito para o cãozinho Xuxo e até canções que viraram grito de guerra das torcidas de futebol.

Pose icônica

  • Xuxa refaz pose polêmica na capa de sua nova coletânea

A capa do primeiro “Xou da Xuxa” foi refeita pela rainha dos baixinhos neste ano para estampar a coletânea. Em 1986, a pose, que faz menção a um “X”, gerou polêmica por Xuxa usar uma camisa transparente que deixa aparecer a forma de seus seios.

Já na nova versão, a apresentadora usou uma blusa mais escura e, para brincar com a situação, colocou fotos de fãs fazendo a pose na contracapa da caixa. O disco vendeu mais de 2,5 milhões de cópias.

 “Parabéns da Xuxa”

Assista ao clipe do "Meu Cãozinho Xuxo"

Mari Música

Também do primeiro LP, “Parabéns da Xuxa” é a segunda música mais tocada em festas de aniversário, de acordo com o Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) - que controla a arrecadação e distribuição de direitos autorais.

 “Xou da Xuxa” vendeu mais que Roberto Carlos

Ainda em 1986, Xuxa recebeu seu oitavo disco de platina pela venda de 250 mil cópias. Naquele ano, chegou a vender mais de dois milhões de cópias, bateu o recorde sul-americano de vendagem de um só disco e vendeu mais do que o cantor Roberto Carlos.

“Meu Cãozinho Xuxo”

A música “Meu Cãozinho Xuxo” - composta por Messias Correa e Rogério Enoe – foi feita em homenagem ao cachorro de Xuxa. Ele morreu de filária, mais conhecida como elefantíase. Durante o clipe da canção, a cantora se emociona (assista ao lado).

“Ilariê”, demônio e chinesas

Parte integrante do disco “Xou da Xuxa 3” - que entrou para o livro dos recordes “Guiness Book” após vender 3,2 milhões de cópias -, o hit “Ilariê” foi lançado inicialmente no extinto programa “Globo de Ouro” (1989) em uma versão de demonstração, em que o vocal de Xuxa era mais agudo e a música mais rápida.  

Ouça "Ilariê" de trás para frente

Mari Música

Na mesma época, a canção composta por Cid Guerreiro, Dito e Ceinha, gerou polêmica após fãs colocarem o disco de vinil para tocar ao contrário na vitrola. De acordo com grupos evangélicos, a música ouvida dessa maneira tem falas que fazem “evocação ao demônio”. Vídeos legendados nas redes sociais tentam traduzir como fica a música após ser ouvida de trás para frente (assista ao lado). A mesma situação aconteceu com o hit “Meu Cãozinho Xuxo”.

Já em 2000, Xuxa cantou “Ilariê” e não foi bem recebida pelos chilenos no Festival de Viña del Mar. Enquanto ela se apresentava, o público substituiu o refrão da letra por "chu-pa-lo", com sentido obsceno. A apresentadora não entendeu de imediato o que as palavras diziam, mas logo após fez um discurso emocionado com sua filha Sasha no colo. No dia seguinte, devolveu o troféu que ganhou no festival.

Chilenos transformam letra de "Ilariê" e Xuxa chora

Seis anos depois, um grupo chinês fez uma readaptação da música. O trio feminino I.N.G. transformou “Ilariê” em “Jian Jian Mei” e modificou a coreografia (assista ao lado).

Chinesas regravam "Ilariê"

Mari Música

Até hoje, argentinos, mexicanos, uruguaios, chilenos e venezuelanos usam o hit como grito de guerra de torcidas de futebol.

“Brincar de Índio”

Com coreografia dançada pelas crianças para homenagear os indígenas, a música “Brincar de Índio” do disco “Xou da Xuxa 3” contou com uma nova remixagem para a coletânea. O vocal da Xuxa foi mixado com o backing vocal.  

“Doce Mel” – música de abertura de “Xou da Xuxa”

Em 1996, a música “Doce Mel”, em versão instrumental, fez parte da abertura do programa “Xuxa Park” até 1997. O hit embalou cenas dos melhores momentos da apresentadora nas bolas de cristais voadoras que se unem fazendo uma explosão. Logo depois, aparece a nave branca do último ano do programa “Xou da Xuxa” (1992).  

Assista ao clipe de "No Basta" de Franco Vita

“Doce Mel” foi remixada e usada na abertura do mesmo programa de 1998 até 1999. Desta vez, as cenas eram outras. Palhaços, como o Pudim, e personagens circenses deixaram a entrada ainda mais animada.

Músicas regravadas

A música “Não Basta” do álbum “Xuxa Seis” é uma regravação de “No Basta” do cantor e compositor venezuelano Franco De Vita. O hit de 1990 faz parte do álbum "Extranjero", que permaneceu por quarto semanas como a número um das músicas latinas e ganhou o MTV Video Music Award (assista ao lado).

Assista ao clipe de "Não Basta" na voz de Xuxa

Mari Música

Outros hits também são regravações, como: “Miragem Viagem”, de Black Orchid; “Mundo da Imaginação” que tem como original “Just Imagine”; “Era Uma Vez” que veio de “Once Upon a Time”; e “Imaginação” ("Imaginit").

Nos seis anos em que apresentou o programa “Xou da Xuxa”, Xuxa ganhou dez discos de diamante. Já em toda sua carreira, ela recebeu 139 discos de ouro e 52 de platina.