PUBLICIDADE
Topo

Kimbra traz Olodum, "Poderoso Chefão" e animação em show no Rock in Rio

Mário Barra

Do UOL, no Rio

15/09/2013 17h41

Muita animação, batuque e a escolha curiosa da música-tema de "O Poderoso Chefão" como abertura. Esta foi a mistura apresentada pela cantora neozelandesa Kimbra para fazer seu show no Palco Sunset na tarde deste domingo (15), terceiro dia do Rock in Rio 2013.

Especiais Rock in Rio

  • Baú do rock: lembre edições de 85, 91, 01 e 11

  • Qual é a música? Tente adivinhar em até 8 s

  • Duelo: qual é a melhor banda do Rock in Rio? 

Após o anúncio do show, a trilha sonora do famoso filme tocou durante alguns segundos até que a banda e a artista entrassem no palco para abrir uma performance dançante e animada com a faixa "Warrior", que foi seguida por "Posse".

Com uma saia vermelha que mais se parecia com uma rosa, a cantora trazia um adorno no pescoço com as cores e formas da bandeira brasileira. Conhecida pela parceria com o cantor Gotye na música e no clipe de "Somebody That I Used to Know", Kimbra estava bem à vontade no palco -- "enlouquecida" como disseram algumas pessoas na plateia -- e arriscou falar português ao saudar o público com um "e aí, galera".

O clima dançante continuou depois de uma salva de palmas e gritos de "Kimbra, Kimbra" com a faixa "Good Intent". Na plateia, a apresentação que começou com muitos espaços foi, aos poucos, ficando mais cheia, mas ainda com espaço para que os fãs pudessem dançar e bater palmas.

Também continuou o esforço com a lusofonia. Ao se dirigir à plateia, Kimbra seguiu praticando o português. "Estou muito contente de estar aqui no Brasil. É minha primeira vez aqui e estou muito feliz", disse a artista na língua local. Aproveitou o momento para apresentar "Mad House", faixa de seu próximo álbum repleta de soul e groove.

O clima ficou mais calmo durante "Two Way Street", uma das canções mais conhecidas de Kimbra, que foi acompanhada com a boca dos fãs mais preparados. O momento também serviu para a banda mostrar solos de bateria e linhas de baixo poderosas. Na sequência, "Cameo Lover" foi outra faixa acompanhada por palmas e vibração do público.

Os principais shows do 2º dia resumidos em um "tuíte"
Veja Álbum de fotos

Diversidade
A apresentação de Kimbra parece condizer mais com o som que será apresentado pela britânica Jessie J no Palco Mundo, no início da noite, do que com as atrações anteriores no Sunset como Nando Reis e Samuel Rosa, além dos portugueses Aurea e The Black Mamba.

A diferença ficou ainda mais evidente com o ápice da apresentação, quando o grupo de percussão Olodum. Apresentados em português por Kimbra, os integrantes da banda entraram no palco para executar ao lado da cantora "They Don't Care About Us", que a própria banda brasileira gravou com Michael Jackson há duas décadas.

O Olodum acompanhou a cantora com todo tipo de ritmo imaginável: desde o axé típico até batidas mais lerdas, mas ainda sim intensas. A plateia apladiu muito o grupo no final da música, logo depois que o batuque tomou conta definitivamente do palco -- com o baterista de Kimbra descendo do instrumento para testemunhar.

Kimbra aproveitou para trocar a saia por algo mais identificável com as cores da banda: amarelo, verde, vermelho e preto. A artista também foi surpreendida pelas investidas dos animados integrantes do grupo, que iam à frente do palco para interagir com a cantora.

O show foi encerrado com "Settle Down" e "Come Into My Head", deixando os fãs satisfeitos com uma das apresentações mais divertidas no Rock in Rio até o momento.

Alicia Keys e Justin Timberlake

O terceiro dia de festival promete misturar o que há de mais pop na música internacional e brasileira com shows de artistas como Jota QuestJessie JAlicia Keys e Justin Timberlake, que fechará a noite no Palco Mundo.

Já no Palco Sunset, as principais atrações são os shows compartilhados de Nando Reis e Samuel Rosa, Kimbra e Olodum, além de George Benson e Ivan Lins.

O evento

A quinta edição brasileira do Rock in Rio começou na sexta e vai até o dia 22 de setembro. Mais de 160 artistas irão se apresentar em cinco espaços diferentes, divididos entre os sete dias de programação. Quase 600 mil pessoas são esperadas durante o festival, com uma média de 85 mil espectadores por dia.

A programação deste sábado (14) foi encerrada pelos britânicos do Muse, com seu rock de arena que mistura elementos de música indie, sons progressivos e efeitos de distorção estridentes. Com hits como "Supermassive Black Hole" cantados em coro pelo público, a banda favorita da escritora Stephenie Meyer, dos livros da série "Crepúsculo", conseguiu convencer com um show de alto nível mesmo depois de uma noite repleta de apresentações intensas como a do Thirty Seconds to Mars e de Florence + The Machine.

Os principais shows do 1º dia resumidos em um "tuíte"
Veja Álbum de fotos

O segundo dia de Rock in Rio também trouxe opções para roqueiros veteranos, em uma espécie de matinê punk concentrada no Palco Sunset, pelo qual passaram os californianos do The Offspring e Marky Ramone, que revisitou clássicos dos Ramones ao lado do vocalista Michael Graves, ex-Misfits.

Entre os destaques nacionais, o sábado teve apresentações que misturaram rock e política. A Capital Inicial emocionou fãs ao tocar uma música de Charlie Brown Jr. para lembrar as mortes recentes de Champignon e Chorão. Já o Detonautas Roque Clube voltou aos primórdios do rock brasileiro em um show com convidados só tocando covers de Raul Seixas.

Tico Santa Cruz usou uma camiseta onde se lia "Senado Federal, Vergonha Nacional", e Dinho Ouro Preto usou nariz de palhaço e criticou o escândalo recente envolvendo o deputado Natan Donadon, que manteve o cargo apesar de ter sido preso por corrupção.

O primeiro dia do evento teve shows de Maria Rita, Living Colour,  DJ David GuettaIvete Sangalo e Beyoncé, entre outros, e uma homenagem ao cantor Cazuza.