Topo

Música

Uma em cada cinco músicas das paradas britânicas refere-se a álcool

Do UOL, em São Paulo

02/10/2013 22h21

Um estudo realizado pela Liverpool John Moores University revelou que, em média, uma em cada cinco canções que entram no Top 10 britânico contém referências a álcool. O conteúdo, publicado na revista "Psychology of Music", cita que o número de letras que relacionam bebidas dobrou ao longo da última década, principalmente por causa da "importação" de canções dos Estados Unidos.

O estudo analisou quatro décadas das paradas britânicas, sendo que há poucas menções a álcool em 1981 e menos ainda em 1991, época em que a pesquisa relaciona à popularização das festas rave, "cena musical mais ligada ao ecstasy do que ao álcool", cita o "The Telegraph". Por outro lado, em 2001 o número de canções que citam bebida é de 8%, contra 18,5% em 2011, exemplificado pelo single "Last Friday Night", que Katy Perry lançou em 2011 falando sobre excesso de bebida.

Segundo o jornal "The Telegraph", a exposição dos jovens ao álcool em músicas é "preocupante". "É necessário um melhor entendimento com urgência do impacto dessa relação da música popular com o álcool. Profissionais da saúde devem estar atentos ao aumento de letras relacionadas à bebida e trabalhar para garantir que a música popular não se torne um meio para reforçar a cultura de intoxicação e efeitos nocivos do álcool", diz a pesquisa. A pesquisa diz que crianças mais velhas e adolescentes escutam música, em média, mais de duas horas por dia.

Marcas de bebida nas letras
Em agosto deste ano, os pesquisadores da Escola de Saúde Pública da Universidade de Boston publicaram o estudo "Substance Use and Misuse", dizendo que marcas de bebidas estão presentes em 23,2% das músicas mais tocadas nos Estados Unidos entre os anos de 2009, 2010 e 2011.

Entre as 720 canções examinadas, 167 (23,2%) mencionaram o álcool e 46 (6,4%) fizeram referências a marcas específicas. As quatro bebidas mais nomeadas representaram 51,6% de todas as menções de marcas.

As menções a bebidas alcoólicas foram mais comuns no rap, hip-hop e rythm and blues, em 37,7% das letras, seguido pelo country (21,8%) e pelo pop (14,9%).

A revista indicou que pelo menos 14 estudos de longo prazo determinaram que a exposição à publicidade do álcool nos meios de comunicação aumenta a probabilidade de os jovens começarem a beber. "Dada a intensa exposição dos jovens à música pop, estes resultados indicam que a música pode ser fonte importante da promoção do uso de álcool entre os jovens", indicou o coautor do estudo David Jernigan.