Topo

Música


Saiba o que esperar dos shows do Black Sabbath no Brasil

Steve Mitchell/AP
O vocalista Ozzy Osbourne à frente do Black Sabbath, que cantará pela primeira vez no Brasil com a banda Imagem: Steve Mitchell/AP

Leonardo Rodrigues

Do UOL, de São Paulo

2013-10-07T08:00:00

07/10/2013 08h00

As trevas emergirão no Brasil esta semana. E não é exagero. Na noite de quarta-feira (9), o estacionamento da Fiergs (Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul), norte de Porto Alegre, será o "antro de Lúcifer", que marchará ao lado de crianças demoníacas rumo à sepultura. Ele, Satanás, verá um mundo decadente, habitado por um homem de ferro sedento por vingança, que terminará rodeado de fadas sinistras que trajam botas e dançam com anões mitológicos.

O universo apocalíptico descrito acima, tão familiar ao fã do Black Sabbath, sairá das letras e músicas que Ozzy Osbourne (vocal), Tony Iommi (guitarra) e Geezer Butler (baixo) mostrarão aos brasileiros. É a primeira vez que a formação original --ou quase, já que o baterista Bill Ward pulou fora da turnê, dando lugar a Tommy Clufetos-- se reúne no Brasil.

Com base no setlist abraçado pelo grupo inglês desde o início de agosto na "The Reunion Tour", os brasileiros podem esperar um show curto e intenso, com cerca de 1h30 e 16 músicas.

  • Tony Iommi, que em 2012 foi diagnosticado com um linfoma e, desde então, vem se tratando

Como não poderia deixar de ser, o grosso do repertório está nos clássicos da fase Ozzy, sobretudo nos quatro primeiros discos, lançados entre 1970 e 1972: "Black Sabbath" (a faixa-título, “Behind the Wall of Sleep” e “N.I.B.”), “Paranoid” (“War Pigs”, “Fairies Wear Boots”, “Rat Salad”, “Iron Man” e a faixa-título), “Master of Reality” (“Into the Void” e “Children of the Grave”) e “Black Sabbath Vol 4” (“Under the Sun/Every Day Comes and Goes” e “Snowblind”).

Além de “Dirty Woman”, de “Technical Ecstasy”, de 1976, outras quatro faixas do álbum mais recente, “13”, lançado em junho --o primeiro com o vocalista desde 1978--, devem ser executadas: “End of the Beginning”, “Age of Reason” e "God Is Dead?".

Chama atenção a ausência de “Sabbath Bloody Sabbath” (1973), considerado por muitos fãs e críticos o melhor da carreira do grupo. O álbum, que mescla peso com alguns dos arranjos mais elaborados do Black Sabbath, conta com talvez o registro mais agudo e rasgado de Ozzy --hoje com 64 anos--, o que pode ter motivado a exclusão.

Outro dos trabalhos célebres da banda, “Sabotage” (1975), também não deve ser representado na apresentação.

O Black Sabbath já esteve duas vezes no Brasil: em 1992, com Ronnie James Dio nos vocais, e em 1994, com Tony Martin. Em 2009, retornou ao país sob o nome Heaven & Hell, projeto voltado à fase do finado Dio.

  • O baixista Geezer Butler, que estará no Brasil

Os pioneiros do heavy metal tocam em Porto Alegre (9), São Paulo (11), Rio de Janeiro (13) e Belo Horizonte (15).

A turnê mundial teve início em 20 de abril, na Nova Zelândia, de onde seguiu para Austrália e Japão. Entre julho e setembro, a banda percorreu os Estados Unidos e o Canadá.

Veja o setlist base dos shows mais recentes do Black Sabbath.

1. "War Pigs"
2.  "Into the Void"
3.  "Under the Sun/ Every Day Comes and Goes"  
4.  "Snowblind"
5.  "Age of Reason"
6.  "Black Sabbath"
7.  "Behind the Wall of Sleep"
8.  "N.I.B."
9.  "End of the Beginning"
10. "Fairies Wear Boots"
11. "Rat Salad"
12. "Iron Man"
13. "God Is Dead?"
14. "Dirty Women"
15. "Children of the Grave"

bis

16. "Paranoid"
+  "Zeitgeist"