Música

Sertanejo Dino Franco é encontrado morto em sua casa em Rancharia (SP)

Divulgação
Dino Franco, da dupla Dino Franco e Moraí Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

04/04/2014 13h41Atualizada em 04/04/2014 22h41

O sertanejo Dino Franco, da dupla Dino Franco e Moraí, foi encontrado morto nesta sexta-feira (4), em Rancharia, interior de São Paulo. O corpo de Franco, que tinha 77 anos, estava em seu quarto, e foi encontrado pela irmã do cantor.

De acordo com a delegacia da cidade, ele chegou a tomar café da manhã, mas se sentiu indisposto e voltou a dormir antes de  morrer.

"Por volta das 11h30 desta manhã, a irmã dele foi chamá-lo para tomar banho e deparou com Dino Franco já morto", informou o escrivão da delegacia, que afirmou que, segundo relatos, o sertanejo estaria doente.

Logo depois de receber a informação do falecimento, o cantor Daniel, que recebeu Dino Franco na primeira edição de seu projeto "Meu Reino Encantado", escreveu uma mensagem exaltando o talento do cantor.

O velório será na Câmara Municipal da cidade a partir das 16h.  Já o sepultamento acontecerá neste sábado, às 9h, no Cemitério Municipal.

Segundo o Hospital Maternidade de Rancharia, o sertanejo Osvaldo Franco sofria de cirrose hepática e esteve internado no local por alguns dias na semana passada.

Trajetória
Osvaldo Franco, mais conhecido como Dino Franco, nasceu em 8 de setembro de 1936, em Paranapanema, interior paulista. Desde a adolescência, já trabalhava com música em rádios, até se lançar como cantor com o nome artístico de Pirassununga nos anos 40. Lançou discos com quase todas as duplas da qual fez parte: Pirassununga e Piratininga, Pirassununga e Belmonte, e Biá e Dino Franco – esta última união foi responsável por seis LPs de grande sucesso na moda de viola.

Nenhuma dupla prosperou e Dino arriscou carreira solo e se tornou produtor da gravadora Chantecler, até conhecer o músico Mouraí com quem gravou 16 discos até a morte do parceiro em 2005. Dino foi reconhecido, ao lado de Mouraí, como pioneiros na regravação de pérolas do sertanejo de raiz, como “Sertaneja”, “A Cachaça e o Fumo” e “A Volta do Caboclo”.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
UOL Música - Imagens
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
AFP
Blog do Matias
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Matias
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
Topo