Topo

Música

Lana del Rey fala de relação violenta em nova faixa "Ultraviolence"; ouça

Reprodução
Imagem de divulgação de "Ultraviolence", novo disco de Lana del Rey Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

04/06/2014 16h50

A menos de duas semanas do lançamento de "Ultraviolence", novo álbum de Lana del Rey, a cantora divulgou a faixa que dá nome ao disco, uma balada sombria, seguindo o clima das canções já divulgadas, "West Coast" e "Shades of Cool".

A letra de "Ultraviolence" faz referência a uma relação amorosa doentia, com ares de violência doméstica e abuso.

"Posso ouvir sirenes, sirenes / Ele me bateu e pareceu um beijo / Posso ouvir violinos, violinos / Me dê toda esta ultraviolência", diz uma das estrofes. Em outro, Lana canta: "Ele me machucou mas senti que era amor verdadeiro". Ouça:

"Ultraviolence", terceiro disco de estúdio de Lana, será lançado em 17 de junho e tem faixas produzidas por Dan Auerbach, do Black Keys.

Os títulos de várias das canções do álbum lidam com tristeza --"Cruel World", Sad Girl", "Pretty When You Cry"--, e Lana já afirmou no Twitter que "Ultraviolence" "é tão dark que é quase inaudível".

Feminismo
No mesmo dia da divulgação da nova faixa, uma entrevista de capa da cantora à revista "Fader" causou controvérsia ao abordar o tema do feminismo.

"Para mim, o conceito de feminino apenas não é interessante... Sempre que as pessoas falam de feminismo, eu penso 'Deus'. Apenas não estou muito interessada. Estou mais interessada na SpaceX e em Tesla, o que vai acontecer com as nossas possibilidades intergaláticas", disse Lana à revista.

Quando questionada sobre sua ideia de feminismo, ela definiu o conceito: "Minha ideia de uma verdadeira feminista é uma mulher que se sente livre para fazer o que quer". Em seguida, a entrevistadora perguntou porque ela frequentemente aparece sendo estrangulada em seus clipes, ela respondeu: "Eu gosto de um pouco de amor hardcore".