PUBLICIDADE
Topo

"Lamento por ter sido um idiota", diz assassino de John Lennon

Mark David Chapman, assassino de John Lennon, em foto divulgada pela polícia de Nova York (9/12/1980) - AFP
Mark David Chapman, assassino de John Lennon, em foto divulgada pela polícia de Nova York (9/12/1980) Imagem: AFP

Do UOL, em São Paulo

29/08/2014 14h13

O assassino do cantor John Lennon, Mark David Chapman, de 59 anos, contou que se arrepende do crime e que se sente um "idiota" por ter matado o ex-Beatles. Chapman atualmente está detido em Nova York, nos Estados Unidos.   

"Na época [do crime], eu não pensava em outra pessoa além de mim. Lamento por ter causado tanta dor. Lamento por ter sido um idiota e ter escolhido a glória errada", disse Chapman, de acordo com a transcrição do áudio da audiência divulgado pela comissão.

Ele fez cinco disparos contra Lennon em 8 de dezembro de 1980, em frente ao Dakota Building, prédio onde John Lennon vivia com sua mulher, Yoko Ono. Na época, Chapman justificou o acontecimento dizendo que "ouvia vozes" e que queria ganhar notoriedade. Horas antes do crime, o músico havia autografado para o assassino uma cópia do então recém-lançado álbum "Double Fantasy".

Ele foi condenado à prisão perpétua pelo assassinato do astro do rock. Em declarações a uma comissão que analisou e rejeitou pela oitava vez a possibilidade de concessão de liberdade condicional, Chapman disse que redescobriu sua fé, percebendo que é possível escolher entre Cristo e o crime.

*Com informações da agência de notícias Ansa

Música