Topo

Música

Clima de festa marca gravação do "Sambabook" de Dona Ivone Lara

Ana Cora Lima

Do UOL, no Rio

02/12/2014 06h00

Uma boa roda de samba não tem dia nem hora para acontecer. E foi dentro de um estúdio em uma tarde de terça-feira (25/11) que alguns dos principais representantes do gênero musical se reuniram para a gravação do "Sambabook" da Musickeria em homenagem a Dona Ivone Lara, registrado entre os dias 24 e 27 de novembro, no Rio. Além de cantoria de trechos de sambas memoráveis da cantora e compositora, não faltaram brincadeiras, sorrisos, abraços e cerveja, à disposição em um isopor cheio de gelo no canto do espaço.

“Quer coisa melhor do que encontrar amigos, batucar, cantar e beber? E esse é o clima do povo do samba, quer seja numa festa, numa gravação ou no show. Todo o mundo é muito festeiro e amigo", entregou Zeca Pagodinho, que, duas semanas depois de uma operação na coluna, teve que pedir autorização médica para suspender o repouso e passar à tarde no estúdio. “Não poderia ficar de fora! Uma honra participar desse tributo a uma das damas da MPB. Quem diria eu, um pobre Zeca Pagodinho, participar de um DVD de Dona Ivone Lara”, brincou ele, que cantou “Minha Verdade”.

Outro que também chegou antes do horário previsto só para passar mais tempo na gravação foi Martinho da Vila. “Cheguei cedo para ver o Zeca [Pagodinho], a Teresa Cristina, o Wilson das Neves e o Caetano Veloso. Nunca é demais ouvir música boa e na voz de um bamba”, admitiu Martinho, mencionando outros colegas que participam do projeto. “Fiz duas músicas para ela, que gravei com a Martinália: ‘Ivone Lara’ e ‘Lara’, mas nunca gravei nada [da compositora]. Sei todas”, disse ele, que, no Sambabook, canta “Andei para Curimá”.

Inédita com o neto

Aos 93 anos, Dona Ivone Lara participou só do primeiro dos quatro dias de gravação.  A cantora ficou bastante emocionada ao ouvir Maria Bethânia gravar “Sonho Meu”. “Minha avó ficou encantada. Ficou surpresa também com a linda interpretação de ‘Acreditar’ com a Vanessa da Mata. Na verdade, ela está superfeliz com a participação de todos os artistas, que são amigos, parceiros de vida e de alegrias. Ela não pôde vir todos os dias, mas, mesmo de longe, quis saber de tudo”, disse o neto André Lara, que participa do coro na gravação de todas as músicas.

“Cada dia uma emoção nova, uma emoção diferente... Tem horas que a ficha não cai!! É muito bom ver a importância da minha avó para historia da música popular brasileira e para a cultura brasileira, que ainda tem que dar muito valor ao samba”, admitiu André responsável pela única música inédita do "Sambabook". “É uma composição inédita minha em parceria com a minha avó. Ela se chama ‘Amor Relativo’ e foi gravado por minha avó e Diogo Nogueira”, adiantou.

O projeto "Sambabook" chega à sua quarta edição, homenageando os maiores compositores do samba.  Depois de  João Nogueira, Zeca Pagodinho e Martinho da Vila, é a vez de Dona Ivone Lara. Assim como os anteriores, o "Sambabook" dedicado a ela reunirá DVD, dois CDs, livro e fichário com partituras das canções. Deve chegar às lojas em abril de 2015.

“É a maior compositora do gênero do nosso país, a grande Ivone, cantora e enfermeira também, que sempre cuidou das pessoas à sua volta. Sempre tratou dos corações das pessoas e fez músicas que foram sucesso na voz dela e na voz de outros”, explicou o produtor e idealizador do projeto Afonso Carvalho, mencionando a profissão de enfermeira, que a sambista exerceu até 1977.

Também participaram do "Sambabook" de Dona Ivone Lara: Elba Ramalho (“Sereia Guiomar”), Criolo (“Tiê Tiê”), Caetano Veloso (“Alguém me Avisou’), Arlindo Cruz (“Força da Imaginação”), Beth Carvalho (“Bodas de Ouro”), Adriana Calcanhoto (“Candeeiro da Vovó”) e Zélia Duncan (“Tendência”), entre outros.