Topo

Música

Inês Brasil grava disco com clássicos da MPB e quer virar "musa gay"

Felipe Blumen

Do UOL, em São Paulo

24/03/2015 05h00

Inês Brasil não quer mais entrar no “BBB”. Depois de se tornar uma das maiores celebridades da internet brasileira em 2013, com um vídeo em que ela pleiteava uma vaga ao reality show, a performer tem hoje, dois anos depois, outros planos. E o principal deles é se dedicar à carreira de cantora.

Sempre agradecendo muito a Deus, ela acabou de lançar o CD “Make Love”, que conta com um single homônimo e oito versões de sucessos da música brasileira, como “Morango do Nordeste”, “Águas de Março” e "Chorando se Foi". Tudo em um ritmo que mistura música eletrônica e funk.

“Esse CD é a minha pessoa. Então quando você estiver doente, escute ele, que eu fiz com muito amor. Eu gostei tanto dele que ouço todo dia, rolo no chão de felicidade”, diz Inês, que pretende comemorar o lançamento com uma festa de arromba e uma piscina de bolinhas “com muito homem”.

Musa

"Meu pai era puxador da escola de samba Quilombo dos Palmares, então eu cresci com a música muito próxima de mim", diz Inês, que garante que compõe inspirada "no amor". "Cantar não é difícil: primeiro você começa imitando suas músicas favoritas, cantando por cima. Aí, quando estiver boa, você começa uma aula de canto para aprender a respirar", explica.

E a cantora Inês Brasil diz ter um objetivo: repetir o sucesso de artistas que ela admira, como Anitta, Valesca Popozuda e as MCs Pocahontas e Ludmila, e fazer shows em todos os lugares do Brasil. "Mas principalmente no Barra Music", revela, citando a casa de shows localizada em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, onde, segundo ela, cantam “os maiores nomes do funk”.

Qual o maior sonho de Inês Brasil? "Primeiro, me tornar a 'Musa dos Gay'", conta. "Depois, conseguir usar o meu sucesso para juntar muito dinheiro e ajudar quem precisa, doar para as escolas e para as pessoas que lutam contra o preconceito. Mas não sem antes dar uma festa", brinca.

Por enquanto, Inês se contenta com o que vem conquistando. "A Valesca já pediu para tirar foto comigo, falou que era minha fã, e a Anitta pediu para pegar no meu peito", conta. "Minha família está bem, minha filha trabalha comigo. O resultado do meu trabalho eu avalio pelo número de pessoas que gostam de mim. Graças a Deus."

Conheça as faixas do CD "Make Love", de Inês Brasil

  • "Make Love" - Inês Brasil

  • "A Namorada" - Carlinhos Brown

  • "Chorando Se Foi" - Kaoma

  • "Morango do Nordeste" - Frank Aguiar

  • "Madalena" - Elis Regina

  • "Olhos Coloridos" - Sandra de Sá

  • "Águas de Março" - Tom Jobim

  • "Esquadros" - Adriana Calcanhoto

  • "Make Love - Funk Edition" - Inês Brasil

Inês do Brasil

"Tem gente que acha que eu sou louca, mas esse é só o meu jeito", diz a carioca de 45 anos, que tem duas filhas e três netos. "Eu faço tudo o que eu faço para sustentar minha família, dar um futuro melhor para eles. E já fiz muita coisa pior", confessa Inês, que, hoje em dia, já não quer mais entrar no "BBB".

"Eu gosto de ver o 'BBB', mas não me vejo mais no lugar daquelas pessoas", diz Inês. "Conheci gente que já esteve lá e me contou o que acontece. Eu não sou melhor do que ninguém, mas não me vejo fazendo jogo, combinando de votar em alguém, cuspir em alguém. Não era pra mim, graças a Deus."

Antes de gravar o vídeo para o reality e virar celebridade na internet, Inês Brasil tentou a vida na Europa. Morou por 18 anos na Alemanha e chegou até a se prostituir antes de encontrar "um caminho melhor". "Eu passei por babados que eu não quero nem falar", conta. "Já pediram para eu fazer coisas que me dariam muito dinheiro, mas que eram erradas."

Agora, "salva pela família" --como ela mesma define--, a cantora se lembra com carinho da época em que esteve fora do país, quando chegou a sair até com "um ex-goleiro da seleção alemã e do Bayern de Munique". Um de seus planos atuais é, inclusive, voltar a se apresentar na Alemanha.

"Quando eu morava lá, eu via aqueles silicones dos travecos, um mais lindo do que o outro, mas custava quase R$ 50 mil para colocar igual", lembra. "Foi tirando a roupa que eu consegui esse dinheiro, mas foi sem matar, sem roubar, foi com um trabalho honesto."Hoje, inês brinca com a fama de pegadora.
 
"Tem pessoas que não gostam do meu jeito, porque eu imito travesti, imito gay, falo muito, me jogo. Eu adoro, me sinto bem fazendo isso, andando desse jeito, com roupa curta. E eu estou bem, né? Tenho todos os 'boy'. De novinho a coroa. Graças a Deus".