PUBLICIDADE
Topo

Após visita à Palestina, Caetano diz em Israel: "Basta à segregação"

Caetano Veloso e Gilberto Gil são recebidos pelo ex-primeiro-ministro e presidente de Israel, Shimon Peres (centro) - Reprodução/Instagram/Caetano veloso
Caetano Veloso e Gilberto Gil são recebidos pelo ex-primeiro-ministro e presidente de Israel, Shimon Peres (centro) Imagem: Reprodução/Instagram/Caetano veloso

Do UOL, em São Paulo*

27/07/2015 14h40

Caetano Veloso e Gilberto Gil participaram, nesta segunda-feira, de um encontro promovido pela organização New Israel Fund e pelo ativista Davi Windholz, da Alternative Center, em Israel, e protestaram contra o conflito entre israelenses e palestinos. “Um basta à ocupação, um basta à segregação, um basta à opressão”, disse Caetano Veloso.

O compositor cantou trecho da música, “Gente”, e ainda disse que “quase chorou” no domingo (26), em visita ao vilarejo de Susiya, no sul da Cisjordânia com a ONG Breaking the Silence, fundada por ex-militares israelenses que mostram a realidade palestina para seus conterrâneos.

A um dia do show em Tel Aviv, Caetano Veloso voltou a explicar a razão de manter o concerto: “Nós enfrentamos a pressão para não vir para Israel e cancelar o show que faremos amanhã, mas decidimos não cancelar, porque preferimos conversar, dialogar e também porque queríamos aprender mais. Estive em Israel algumas vezes antes, mas eu sei que situação é pesada e difícil”, afirmou.

A intenção do encontro é mostrar que, apesar de terem mantido o show, apoiam uma solução pacífica para o conflito. Antes, eles se encontraram com o ex-primeiro-ministro e presidente de Israel, Shimon Peres, ganhador do Prêmio Nobel da Paz em 1994, que os recebeu no centro que leva seu nome na cidade de Yafo, ao sul de Tel Aviv, Caetano e Gil se reuniram com um grupo de crianças judias e palestinas para expressar seu apoio ao diálogo e à tolerância.

O músico brasileiro acrescentou, em uma breve entrevista após a visita, que entendia "que o ambiente que se vive (em Israel) é complexo, mas quando vê as oportunidades ao alcance e a beleza de Tel Aviv só pode observar o que há de bom aqui".

Por sua parte, Peres disse aos brasileiros que "sua música une as pessoas" e expressou seu agradecimento por terem visitado o centro que estimula a coexistência pacífica entre árabes e judeus. "Estou orgulhoso e contente que tenham se transformado em embaixadores do Centro Peres", acrescentou.

A Folha acompanhou a visita dos cantores à Susiya. Segundo o guia dos artistas, Yehuda Shaul, os dois artistas se interessaram muito e foram muito simpáticos.

Entenda o caso
Em turnê conjunta “Dois amigos, um século de música”, Caetano Veloso e Gilberto Gil causaram controvérsia ao incluir Tel-Aviv na passagem pela Europa. Ativistas contrários ao tratamento dispensado pelo governo aos palestinos pediram seu cancelamento.

O pedido ao boicote teve reforço do ex-Pink Floyd Roger Waters, que enviou carta aos baianos pedindo o cancelamento da apresentação "por conta dos massacres aos palestinos". 

 

"Um basta à ocupação, um basta à segregação, um basta à opressão... Nós enfrentamos a pressão para não vir para Israel e cancelar o show que faremos amanhã, mas decidimos não cancelar, porque preferimos conversar, dialogar..." (#Caetano durante encontro promovido pelo #NewIsraelFund e pelo #AlternativeCenter, de #DaviWindholz, hoje em #TelAviv). Pedimos desculpa pela falta de legendas, mas o tempo é curto. #DoisAmigosUmSeculoDeMusica #CaetanoVeloso #GilbertoGil #GoInPeace #MúsicaTrazPaz @caetanoveloso @gilbertogil

Posted by Caetano Veloso on Monday, July 27, 2015

 

* Com informações da agência EFE