Topo

Música


"Foi um desabafo, a galera reclama muito", diz Maisa sobre hit "NheNheNhem"

Felipe Blumen

Do UOL, em São Paulo

07/08/2015 15h39

“Todo mundo tem sua hora de fazer nhenhenhém”, diz a música, vista por 4,3 milhões de pessoas em cerca de 45 dias no YouTube. “Eu estava pensando em uma música que fosse chiclete”, diz a intérprete Maisa Silva, que além e apresentadora e atriz também quer ficar conhecida como cantora.

“Mas a música é também um desabafo. As pessoas reclamam muito, aí eu quis falar isso”, diz Maisa, hoje com 13 anos. Desde quando apareceu na TV, em 2005, até hoje, a artista continua sendo considerada uma criança prodígio. A diferença é que agora ela já não fica mais fazendo piadas com Silvio Santos, mas canta, atua, apresenta e ainda acha tempo para estudar.

“Eu não sou adolescente ainda”, diz Maisa. “Então minha música é para as crianças mesmo, para gente da minha idade. Hoje em dia a galera tá muito perdida em letras que não são adequadas para a gente”, opina a cantora.

O UOL conversou com Maisa para entender de onde veio o sucesso de "NheNheNhem" e o que o público pode esperar de sua carreira musical e artística – e até de sua interação nas redes sociais. Confira como foi.

UOL - Maisa, de onde veio “NheNheNhem”?

Maisa Silva - Eu e a Dani [Mônaco, compositora] estávamos pensando em uma música sobre reclamações e que fosse chiclete. Aí falei que tinha que ser algo como “mimimi” ou "nhenhenhém”, pensamos em quando a pessoa faz nhenhenhém e aí surgiu. Foi meio que um desabafo. As pessoas reclamam muito, aí eu quis falar isso.

E você não faz nhenhenhém também?

(Risos) Bom, às vezes, né? Eu tenho que soltar um pouco, desabafar, e essa música foi isso. Às vezes eu engulo muita coisa, eu tenho medo de falar não para alguém e acabo sendo boazinha demais. Aí o meu nhenhenhém foi para tudo isso que estava me enchendo já.

Então não é só você que compõe as letras das suas músicas?

Eu ajudo na composição. Quem escreve minhas músicas é a Dani Mônaco. Ela vem aqui em casa e começa a conversar comigo sobre várias coisas, pergunta como foi meu dia e quando eu vejo a gente já tem uma música. Aí eu ajudo. E as músicas desse EP ["Eu Cresci", lançado em dezembro de 2014] ficaram mais a minha cara.

E que cara é essa?

Ah, o EP não é muito para adolescente porque eu não sou adolescente ainda. É algo para as crianças mesmo. Eu crio músicas para gente da minha idade. Hoje em dia a galera tá muito perdida em letras que não são adequadas para a gente. Então o nosso foco é deixar leve mesmo.

Por que você acha que teve um pessoal que interpretou errado a música, achando que era algo mais sensual? Eles não perceberam que a música era leve?

Eu acho que isso aconteceu porque eu falo que todo mundo faz nhenhenhém. Mas eu falo logo na sequência “buzinando no ouvido”! A pessoa às vezes escuta uma frase e já acha que tem um sentido que não tem.

E aí você tem que explicar...

Sim. Então por favor escutem a música inteira. Eu tenho 13 anos e não posso ficar cantando essas coisas que vocês imaginam (risos).

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-citacoes','/2015/maisa-1438970946682.vm')

E você está trabalhando em mais músicas agora?

Por enquanto não. Como é bem recente o EP, eu tô só focando em turnê agora. Inclusive nessa turnê vai ter uma musica exclusiva. E o show vai ser como se fosse um musical. Músicas antigas e novas, eu cantando junto com atores. Vai ser em setembro.

Em setembro? Mas e as aulas?

Continuam normais. Só vamos tirar os finais de semana para fazer turnê.

Quem são suas inspirações dentro da música? Tem algum grupo, alguns cantores que você admira muito?

Ah, eu sou fã do MC Biel! Eu e minhas amigas, a gente pira muito nele (risos). Também gosto da Demi Lovato, da Selena Gomez, da Miley Cyrus. De música nacional, eu gosto da Clarice Falcão... Eu escuto todo tipo de música, sabe?

E você pega alguma coisa delas, procura se inspirar nessas cantoras?

Eu procuro buscar minha identidade. As coisas boas a gente tem que adicionar sempre, mas sem adicionar demais, porque senão a gente acaba imitando e aí não fica legal.

Agora você vai seguir na música mesmo ou também continua como atriz e apresentadora?

Agora a meta é focar na carreira musical. Nisso e no meu canal no YouTube, com o "#Maisera" [espécie de talk show em que a artista brinca com convidados variados], que eu tô adorando fazer. Está muito legal porque é um desafio para mim também, que sempre tenho que pensar em pegar coisas novas para todo mundo ficar ligado. E é superdivertido pra mim, eu gravo em casa, chamo meus amigos.

Você gosta mais de fazer o que então, cantar, atuar ou apresentar?

Eu não tenho um favorito. Eu gosto muito de me comunicar, eu sou muito comunicativa e eu gosto de falar, não importa onde seja. Falo no palco, falo na TV, na novela, nas redes... Eu tô sempre me comunicando. E eu tô feliz porque meus fãs estão gostando e eu adoro ver o retorno deles nas redes.

É você que interage com os fãs nas redes sociais?

Eu que uso tudo, todas as redes: Instagram, Twitter, YouTube. Mas eu tenho uma equipe que me assessora também, pra não ficar fazendo isso sozinha.

E o que você vai fazer agora?

Ah, eu cheguei da escola e acabei de almoçar. Vou aproveitar a tarde para ensaiar um pouco.