Música

Banda mineira de black metal faz sucesso "involuntário" com clipe bizarro

Leonardo Rodrigues

Do UOL, em São Paulo

12/08/2015 06h00

Esqueletos alados emergem das entranhas do inferno. Adiante, um arauto com cabeça de bode surge cavalgando em um Tiranossauro rex. Ao fundo, crianças ardem no fogo do inferno. Um inferno que mais parece uma fase do game "Golden Axe". Eis o início do clipe da blasfêmica "God of Hell", da banda mineira de black metal Echoes, que vem fazendo um involuntário sucesso cômico nas redes sociais.

Com cenas pitorescas, incluindo dragões ateando fogo em igrejas e freiras sendo sodomizadas por demônios, o videoclipe vem sendo descrito nas redes como "o mais bizarro do universo". A letra é demoniacamente direta: vocifera em um inglês praticamente incompreensível versos como "Deus desgraçado que está no inferno, amaldiçoado seja seu nome" e "Maldito Jesus Cristo, se você existe, apareça aqui e venha tirar o seu povo do caos".

Para os integrantes do grupo, formado em Ribeirão das Neves (MG), a produção pode até ser "tosca", mas o discurso é sério e muito. "A ideia era ser blasfêmico, mas acabou sendo um blasfêmico cômico. Tão cômico quanto é a fé cristã é para nós", disse ao UOL o baixista e diretor amador Stanley Brian, 29, que, além de vídeos da banda, tem no currículo um curta estrelado por ele e pelos companheiros de grupo.

"O clipe foi feito usando vários programas de efeitos, como o After Efects. Criei os personagens com inspiração naqueles jogos toscos de Master System que jogava quando era moleque. Usei um computador péssimo, com apenas 1 GB de memória", revelou, pouco depois de interromper a conversa para reiniciar a máquina, sempre problemática.

O jeitinho brasileiro convertido em black metal de baixo orçamento conquistou admiradores. Desde que foi publicado, no dia 21 de julho, o clipe já passa de 100 mil visualizações no YouTube número superior ao de alguns vídeos de bandas profissionais do gênero. "Tentamos mostrar da forma mais explícita possivel toda nossa descrença em tudo aquilo que é sagrado para os cristãos. Acredito que o ser humano deve agir seguindo seus próprios instintos, sem seguir nenhum dogma religioso", reza o baixista.

Formada em 1989, pelo pai de Stanley, o vocalista e guitarrista "Mike Cave", o Echoes já teve várias formações e demos gravadas. Atualmente, não faz shows, apenas ensaia e faz vídeos na região metropolitana de Belo Horizonte. Segundo o baixista, as próximas obras audiovisuais prometem ser ainda mais difamatórias e, com sorte, tão engraçadas quanto a última. "Nossa podreira sonora foi evoluindo cada vez mais até chegar a esse nível. Sempre procuramos desde o inicio fazer um som cada vez mais sujo e agressivo."

Veja clipe da faixa "Die Jesus Christ", do Echoes

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
Adriana de Barros
UOL Música - Imagens
Colunas - Ricardo Feltrin
do UOL
do UOL
Da Redação
do UOL
Blog do Matias
TV e Famosos
do UOL
do UOL
Da Redação
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
TV e Famosos
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
Topo