Topo

Música

"Eu não tinha nada a ver com a Jovem Guarda", diz Ronnie Von

Mauricio Stycer

Crítico do UOL

27/08/2015 18h38

No momento que a Jovem Guarda comemora 50 anos, um dos cantores que representou a cara daquele movimento, Ronnie Von, esclarece: "Eu não tinha nada ver com a Jovem Guarda, mas as pessoas insistem".

Em meados dos anos 60, enquanto Roberto Carlos apresentava o programa "Jovem Guarda" na Record, o cantor comandava, na mesma emissora, "O Pequeno Mundo de Ronnie Von" --o apelido "Príncipe" surgiu nessa época, de uma suposta rivalidade com o "Rei" Roberto Carlos.

"Todo mundo fala: o Ronnie da Jovem Guarda. Eu nunca fui ao programa 'Jovem Guarda', nem tinha relações mais diretas com o pessoal que fazia a Jovem Guarda", contou Ronnie em entrevista ao programa "UOL Vê TV". "Achava interessante. A minha escola, afinal, é rock and roll também, mas o meu texto era outro".

Ronnie falou também do seu flerte com o Tropicalismo. Tanto os Mutantes quanto Caetano Veloso frequentaram muito o seu programa na Record. "Ouvi 'Revolver', dos Beatles, com a Ritinha", conta. "Embarquei um pouco no Tropicalismo", diz sobre o famoso disco "A Misteriosa Luta do Reino de Parassempre Contra o Império do Nuncamais" (1969).

Mas o insucesso comercial acabou afetando o seu interesse musical. "Por que não continuei? Porque o produto representa interesse comercial. Me deixei convencer pelo empresário."

Há 11 anos à frente de um talk show na TV Gazeta, em São Paulo, o "Todo Seu", Ronnie Von não cogita voltar a cantar. "Sou filhote de gravadora. E disco não vende. Teria que fazer show, mas não tem como", diz.

Newsletters

Receba por email as principais notícias do UOL sem pagar nada.

Quero receber