PUBLICIDADE
Topo

Música


Fãs do Queen formam fila para garantir espaço na grade do Rock in Rio

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio

18/09/2015 11h45

Cerca de 30 fãs se reuniam na fila do Rock in Rio, na manhã desta sexta-feira (18), ansiosos para a abertura dos portões da Cidade do Rock, às 14h. Para se proteger do sol forte, muita gente usou guarda-chuva enquanto esperava para entrar no festival. Esses guarda-chuvas, porém, deverão ficar do lado de fora (veja tudo o que está proibido no Rock in Rio).

O carioca Lucas Oliveira chegou às 3h da manhã e tentou dormir, sozinho, na porta do evento. "Usei uma canga para me cobrir. Tinha muito mosquito e fiquei com medo de passar a noite aqui, só consegui cochilar por uma hora. Eu era muito fã do Freddie Mercury e não podia perder o show do Queen. É meu primeiro Rock in Rio, tinha que ficar na grade", disse o jovem, achando que dessa forma seria o primeiro da fila –sem saber que já tem gente acampada no local desde o último sábado (12).

 

 

Fabiana Fernandes saiu do interior de São Paulo e encontrou, em frente à Cidade do Rock, o amigo Diego Oliveira, que veio de Curitiba para o festival. "A gente não se via há 12 anos. Somos amigos de infância e será muito bom curtir juntos o show do Queen", destacou Fabiana, que também passou a noite no lugar. "Usamos a barraca como saco de dormir, mas foi bem complicado. Acordei cheio de picadas de mosquito", contou Diego.

 

Fã do cantor americano Adam Lambert, que ganhou projeção após ficar em segundo lugar do "American Idol" em 2009 e fará o vocal do Queen nesta turnê, o estudante mineiro Marcus Vinicius quer ficar bem próximo do ídolo e não tem interesse em explorar os brinquedos e outros palcos do Rock in Rio (o show do Queen será no palco principal, Mundo, a partir da meia-noite desta sexta). "Se ele me chamar, será um sonho. Vou pedir para ele cantar uma música para mim. Minha mãe também é fã do Queen, tentei convencê-la a vir comigo, mas ela não gosta de tumulto", disse o mineiro.

A carioca Júlia Costa, 52 anos, não se incomodou com o calor e também quis garantir seu espaço na grade do Palco Mundo. "Sou fã do Queen desde a adolescência. Vi a banda em 1981. É uma emoção muito grande poder prestigiá-los com essa nova versão", afirmou. Para aguentar o pique até tarde, Júlia trouxe água e barras de cereais. A organização do evento, porém, não permite a entrada com garrafas d'água.

Na cola do Queen

Com uma jaqueta amarela inspirada em Freddie Mercury, Thales Ramos não se incomodou com o sol forte desta sexta no Rio e se juntou a outros fãs do Queen para disputar uma vaga em frente ao Palco Mundo, no primeiro dia de Rock in Rio.

"Fui ao show deles em São Paulo, hoje estou aqui e também vou à apresentação na Argentina [no dia 25 de setembro]. Minha mãe é fã do Queen, cresci ouvindo ela falar em Freddie Mercury, é uma paixão de família", revelou.

Para ver a banda de perto, Thales saiu de Rio das Ostras, região dos Lagos do Rio, e acampou na porta do Copacabana Palace, na zona sul da cidade. "Fiquei lá na porta só para vê-los de perto, mas não deu muito certo", lamentou o jovem.

No fim da manhã desta sexta, pessoas contratadas pela produção do festival circulavam pela fila para distribuir pulseirinhas aos maiores de 18 anos que pretendem beber durante o evento. Para receber a pulseira, é preciso comprovar a idade com documento oficial. Do lado de fora da Cidade do Rock, porém, vendedores ambulantes comercializam cerveja sem exigir pulseirinha ou identidade.

Música