PUBLICIDADE
Topo

Música


Morador improvisa banheiros na porta do Rock in Rio, mas prefeitura barra

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio de Janeiro

18/09/2015 11h41

Desde cedo nesta sexta-feira (18), o morador Moisés Cavalcanti improvisava banheiros na entrada da comunidade Vila Autódromo, ao lado da Cidade do Rock, esperando faturar algum dinheiro. Mas, no início da tarde, a Secretaria de Ordem Pública (Seop) do Rio e guardas municipais foram até o local para desmontar os banheiros.

Segundo a assessoria de imprensa da Guarda Municipal, a operação faz parte da atuação regular do órgão para coibir comércio ilegal em toda a cidade, e apenas foi intensificada na região da Cidade do Rock durante o evento. Durante a operação, houve uma pequena discussão entre ambulantes e guardas municipais.

Cavalcanti disse que estava fazendo divisórias e colocando à disposição quatro vasos sanitários. "Devo cobrar R$ 4 de cada um, mas o valor varia de acordo com o cliente. Tem gente que pagou R$ 2 mil por ingresso e pode pagar mais", afirmou.

Nesta manhã, muitos moradores também montaram barracas para vender cerveja, refrigerante e água, com valores de R$ 4 a R$ 7. "Este é o melhor momento para ganhar um extra. Em tempo de crise, não está fácil conseguir um bico", disse a ambulante Jéssica Silva, antes da chegada dos fiscais.

No fim da manhã desta sexta, pessoas contratadas pela produção do festival circulavam pela fila para distribuir pulseirinhas aos maiores de 18 anos que pretendem beber durante o evento. Para receber a pulseira, é preciso comprovar a idade com documento oficial. Do lado de fora da Cidade do Rock, porém, vendedores ambulantes comercializavam cerveja sem exigir pulseirinha ou identidade.

 

Música