PUBLICIDADE
Topo

Música

Você pagaria R$ 80 às cegas para garantir presença no Rock in Rio 2017?

Leonardo Rodrigues

Do UOL, no Rio

19/09/2015 18h49

Você apostaria seu dinheiro para garantir um ingresso no Rock in Rio 2017 sem nem saber que bandas ou artistas serão escalados? Pois, em pleno Rock in Rio 2015, tem muita gente que está no festival já pegando fila e gastando R$ 79,90 para ter prioridade de compra de entradas antes do início das vendas oficiais da próxima edição do festival.

Um estande que vende essa pré-reserva, na forma de uma espécie de cartão de fidelidade, tem atraído movimento desde o início do Rock in Rio, nesta sexta (18). Além da garantia no próximo Rock in Rio, o cartão também concede desconto de 20% em lojas oficiais do festival e a preferência nas filas dos brinquedos.

Fã compra cartão que dá direito à pré-venda para Rock in Rio 2017 - Leonardo Rodrigues/UOL - Leonardo Rodrigues/UOL
Alex Donato mostra cartão que dá direito à pré-venda para Rock in Rio 2017
Imagem: Leonardo Rodrigues/UOL

No primeiro dia, o local só esvaziou no fim da noite, antes do início da apresentação do Queen. Neste sábado, o movimento é igualmente intenso.

Segundo a organização, o balanço com os números de vendas dos primeiros dias deve ser fechado neste domingo. Mas a expectativa é esgotarem as pré-reservas até o segundo fim de semana do festival. São cerca de 20 mil "cotas" para os sócios, também comercializadas on-line.

“Foi a forma que encontrei de garantir o ingresso. Em 2001, foi difícil comprar. Dei sorte e consegui no ‘quilômetro de vantagem’. Com esse serviço, eu fico mais tranquilo”, conta o cirurgião dentista Alex Donato, 44, que foi a todas as edições do Rock in Rio.

O estande, localizado próximo à  entrada principal da Cidade do Rock, também permite renovar a reserva de quem já havia feito para 2015. “Este ano, o site deu problema, mas depois funcionou bem, e comprei tranquilo”, diz o empresário Leonardo Simonetto, 34.

“Não tem importância não saber quem vai tocar antes. Sempre vai ter coisa legal. A gente vem e se diverte”, conta a adolescente Natália Schmidt, de 14 anos.

Música