PUBLICIDADE
Topo

Música

Na Rock Street, até as "minas do metal" caem na capoeira e no samba

Tiago Dias

Do UOL, no Rio

19/09/2015 18h35

Enquanto o Angra tocava no Palco Sunset neste sábado (19), segundo e mais pesado dia do Rock in Rio 2015, as garotas fãs de heavy metal caíram no samba e na capoeira na Rock Street. O espaço, que emula uma rua de construções antigas, tem rodas de capoeiras e rodas de samba com os integrantes vestidos de gari (em referência ao gari Sorriso, símbolo da Carnaval carioca de 2015).

Provando que não se vive só de solo de guitarra, teve quem se arriscou a rebolar até o chão. Nazaré da Costa, 35, escolheu o dia do metal para vir ao Rock in Rio, mas sambava com uma canga nas costas, de motivos brasileiros (e canábicos). "Sou brasileira, né? Não existe essa de metaleiro não gostar disso", rebateu, quando questionada se estava gostando do som. "Estou achando ótimo, onde tem cerveja, nós estamos", brincou.

Gilvana Mariano, 27, também entrou na roda de samba e surpreendeu até as amigas. "Vim pelo Metallica, mas não resisto a um batuque", disse.

Fora os chopes a R$ 10, a grande atração do festival é o clima de shopping ao ar livre. São cerca de 20 estabelecimentos, das mais variadas marcas e ações publicitárias, incluindo de filmes. Antes do Palco Mundo abrir para suas atrações, o espaço para o público cantar e tocar, num clima de karaokê, foi o mais concorrido.

O boulevard também tem o benefício de um cardápio variado. O energético custa R$10, a água sai por R$ 5 e há refeições que vão desde frutas (R$ 2, a unidade), coxinha (R$ 8) e espetinho (R$ 10) a sanduíches de fast-food (de R$ 15 a R$ 27). A pipoca sai mais salgada, por R$ 12.

Música