PUBLICIDADE
Topo

Infalível, Lulu Santos defende igualdade: "Não se pode regulamentar amor"

Leonardo Rodrigues

Do UOL, no Rio

26/09/2015 19h38

Primeira atração do palco principal do Rock in Rio 2015 neste sábado (26), o cantor Lulu Santos fez o que poucos conseguiram no festival até agora: um show inteiro só de sucessos. E trouxe para o público seu discurso sobre igualdade nas relações humanas, emendando "Apenas Mais uma de Amor". "Não se pode regulamentar o amor. Família é o que for do coração", disse ele, em referência à aprovação que a Câmara dos Deputados fez na quinta-feira (24) de um texto que define família como a união entre homem e mulher.

A apresentação de Lulu Santos foi praticamente um karaokê na Cidade do Rock. Tocando em casa, ele enumerou hits infalíveis, trazendo como novidades apenas algumas participações especiais. Entre elas, Mr. Catra, em "Condição"; Rodrigo Suricato, em "Um Certo Alguém", tocada com direito a ukelelê; e Pretinho da Serrinha em "Sábado à Noite". 

Para fugir da mesmice, Lulu alterou arranjos de algumas músicas. "Tudo Azul" ganhou cadência de baião, enquanto "Tempos Modernos" foi executada com o já famoso arranjo eletrônico.

Olhando para a plateia, que lotou o show, pouco parecia importar a forma como as músicas foram alteradas. Um dos maiores hitmakers do Brasil e jurado do programa "The Voice Brasil", Lulu está sempre na boca do povo, as melodias grudam como chiclete e reverberam.

"O lance dele é a empatia. Ele é um cara do povo. Fala para todo mundo, de todas as idades. Zona sul, zona oeste, zona norte", disse a vendedora Cláudia Vicente, 45, que cantava todas as músicas. "Ele não precisa fazer mais nada. O segredo é ele fazer o mesmo sucesso com as mesmas músicas, há 30 anos", completou o estudante Felipe Lemos, 18.

A vibe "só love" do show continuou em "Sócio do Amor", antes de chegar a "O Descobridor dos Sete Mares", de Tim Maia. Certamente, um dos melhores shows do segundo fim de semana de festival.