PUBLICIDADE
Topo

Música


Estou ocupando espaço e não lugar da Joelma, diz nova vocalista da Calypso

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

06/11/2015 19h36

Há um mês a vida de Thábata mudou completamente. Foi quando ela recebeu o convite de Chimbinha para assumir os vocais da Calypso. A cantora de 30 anos, que desde terça-feira (3) está em estúdio com o guitarrista, começa a dar os primeiros passos para assumir a banda em uma nova fase, agora sem Joelma.

Thábata não conhece Joelma pessoalmente, mas diz valorizar a originalidade e identidade da artista. "Nem que eu quisesse eu conseguiria imitar a Joelma. Estou ocupando o espaço, e não o lugar dela", disse ela em entrevista ao UOL, por telefone. O que a gente quer é preservar uma característica muito marcante da banda, que é a alegria. Vamos manter a dança, já que este é um elemento super importante e também faz parte de mim. Eu danço desde pequena e também tenho uma parte da carreira dedicada ao axé".

De musa do forró pop a líder da Calypso

A ideia inicial de Chimbinha era transformar Thábata em musa do forró pop. "Mas isso foi há cinco anos", lembra ela. O projeto do guitarrista e produtor de revolucionar o gênero não deu certo por causa da agenda agitada da Calypso, mas ele lembrou de Thábata anos depois quando viu seus problemas pessoais com a ex-mulher desmancharem a formação original do grupo.

Quando Chimbinha anunciou que já tinha escolhido um novo nome para a Calypso, ele destacou que a cantora seria "jovial e espontânea". Thábata vê a posição do guitarrista neste anúncio como "estratégica para que não houvesse muitas comparações", já que a ideia é de mudar o conceito do grupo. Da parte de Thábata, a cantora promete figurinos "modernos, joviais, algo mais atual e com minha cara".

Carreira paralela

Vaidosa, Thábata mantém uma loja de moda fitness e praia em Mossoró (RN), cidade onde nasceu. O lado empresária foi herdado da mãe, que há mais de 30 anos é dona de uma franquia de uma rede de perfumaria. "Eu cresci vendo ela desempenhando este papel e me contagiei. Gostaria de conciliar as duas carreiras, mas é impossível. Agora é 100% Calypso".

O gosto pela moda, o corpo escultural e os longos cabelos loiros lhe renderam o apelido de "Barbie de Mossoró", com o qual ela diz não se incomodar. "É carinhoso. Já tive tanto apelido pior, até fiapo de manga", lembra. Solteira, Thábata diz não ter problema em namorar com pessoas do meio artístico. "Gosto de homem com caráter, não me prendo a faixa etária". 

Início e influências

Foi no circo que Thábata começou sua carreira, aos 9 anos. Ela contou que sua mãe se casou com um artista circense e, junto com a família, viajou pelo país com as apresentações onde ganhou os seus primeiros cachês. "Fiz chicote mexicano, tecido e até palhaça fui também", lembra, aos risos. Foi nessa época que ela, que já cantava, começou a compor músicas.

Mais tarde, tentou seguir como cantora sertaneja. "O circo ficava no interior de São Paulo e de Minas Gerais, e o que predominava era o sertanejo, eu ouvia muito. Estou em um momento de apreciar o sertanejo". A nova vocalista da Calypso diz ser eclética e ouvir música sempre com a intenção de se aprimorar. Entre os artistas nacionais, destaca Maria Bethânia, Ivete Sangalo e Djavan. Stevie Wonder, Whitney Houston e Shania Twain são suas influências internacionais.

Popularidade e futuro

Com o mesmo sobrenome de Joelma (Mendes), Thábata seguirá usando apenas seu primeiro nome. "Sempre usei só Thábata e vai continuar assim". Em suas redes sociais, vê os números crescerem a cada semana. Já conta com 65 mil fãs em seu perfil do Facebook. No Instagram, tem quase 50 mil seguidores --é no aplicativo de fotos que ela costuma postar suas fotos fitness. "É um estímulo, e vou continuar". O que muda com a fama repentina é a atenção que a cantora pode dedicar aos fãs. "Antes eu respondia todo mundo, agora está mais complicado".

 

Música