Topo

Entretenimento


Lollapalooza vem aí: os cinco shows mais históricos nos 25 anos do festival

Getty Images/Montagem
Pearl Jam, Ramones e Lady Gaga: shows históricos do Lollapalooza americano Imagem: Getty Images/Montagem

Do UOL, em São Paulo

2016-07-26T06:00:00

26/07/2016 06h00

Um dos maiores festivais de música do mundo, o Lollapalooza completa 25 anos este mês. A 20ª edição norte-americana do evento acontece entre os dias 28 e 31 de julho, mais uma vez em Chicago. E o UOL, em parceria com a Red Bull TV, vai transmitir ao vivo alguns dos principais shows, diretamente dos Estados Unidos (acompanhe aqui a partir de quinta-feira).

Criado por Perry Farrell, vocalista da banda Jane's Addiction, o evento tem um currículo invejável de shows dos nomes mais relevantes do rock e pop dos últimos 25 anos. O Lolla se notabilizou por apresentar e projetar artistas a gerações que viviam os ecos do grunge e de seus filhotes, ainda hoje influentes.

Nesta rica e diversa história, que chegou em 2012 ao Brasil, não faltaram apresentações emblemáticas, entre elas a consagração do Pearl Jam, o teste de fogo da então novata Lady Gaga e o último grande show dos Ramones.

Relembre cinco momentos históricos da história do Lollapalooza:

Consagração do Pearl Jam

Em meio a uma escalação de peso que incluía Red Hot Chili Peppers, Soundgarden e The Jesus and Mary Chain, quem roubou a cena no Lollapalooza de 1992 foi o ainda iniciante Pearl Jam. Realizada à luz do dia, a apresentação intensa e musicalmente competente de Eddie Vedder e companhia fez história no festival. Depois da apresentação, baseada no clássico "Ten", o grupo se tornou um fenômeno em popularidade, chegando a parear na época com o Nirvana e se mantendo até hoje no topo.

Lady Gaga antes da fama

A primeira vez de Lady Gaga no Lollapalooza aconteceu em 2007, quando ainda era uma compositora desconhecida de cabelo castanho. Mesmo com um show praticamente sem produção e cantando --de biquíni-- ao lado da “xará” Lady Starlight, ela foi a grande revelação do festival daquele ano. A crítica aprovou a salada eletrônica da cantora, chegando a defini-la como uma salutar mistura de Billy Idol, Madonna e Peaches. Gaga viraria um foguete pop dali adiante.

Pavement em momento “Carlinhos Brown”

Nem tudo são flores na história do Lollapalooza. Na edição 1995, realizada no Estado de West Virginia, o Pavement, hoje tida por muitos como a maior banda indie da história, não conseguiu se dar bem com a plateia. O grupo não só foi inapelavelmente vaiado como levou banho de lama do público. A ideia dos organizadores de jogar água para aplacar o calor acabou saindo pela culatra, com o lamaçal virando arma na mão da multidão. O grand finale: o vocalista Stephen Malkmus perdeu a paciência, distribuindo dedos médios e exibindo as nádegas para quem quisesse ver.

Ramones dão adeus

Primeira e derradeira aparição dos Ramones no Lollapalooza, o show de 1996 marcou também o último grande show-espetáculo dos pioneiros do punk antes do anúncio do fim de suas atividades, o que aconteceria semanas depois. Debaixo de sol forte, o grupo não se intimidou e mandou seu set básico, bem semelhante ao da última passagem pelo Brasil, em março daquele mesmo ano. Para muitos --os mais radicais--, o próprio rock morreria ao fim daquela edição do festival, realizada em New Orleans, que também contou com Metallica e  Soundgarden.

Strokes voltam aos EUA

Após uma pausa em 2006, os Strokes ainda ficaram quatro anos sem se apresentar nos Estados Unidos. E a volta triunfal aconteceu em uma edição do Lollapalooza. No palco, o grupo adiantou material do então futuro álbum “Angles”, mas o setlist foi praticamente todo baseado nos primeiros discos da banda, "Is This It" e "Room on Fire". O público foi à loucura, em um dos momentos mais empolgantes do festival, que na mesma hora vira outro aguardado retorno, o da agora estrela global Lady Gaga.

Mais Entretenimento