Topo

Música

"Tive que arrancar a voz de dentro dela", diz Luan sobre Camila Queiroz

Felipe Abílio

Do UOL, em São Paulo

10/08/2016 18h49

Luan Santana anunciou, nesta quarta-feira (10), que seu próximo trabalho será um DVD de inéditas em parceria com mulheres. Entre as convidadas estão Ivete Sangalo, Anitta, Sandy, Marília Mendonça, Ana Carolina e a atriz Camila Queiroz. O DVD terá o título de "1977", uma referência ao ano de criação do Dia Internacional das Mulheres, proclamado pela ONU (Organização das Nações Unidas).

O tributo ao universo feminino vem em um momento em que as duplas e cantoras do sertanejo alcançam sua maior popularidade, com nomes como Marília Mendonça e Maiara & Maraisa. E Luan reconhece o fenômeno. "Os últimos estouros da música são das mulheres e acho muito legal chamá-las para cantar. Ouvir uma mulher cantar músicas do cotidiano é uma sensação nova", disse ele em encontro com jornalistas, em São Paulo.

Questionado se é feminista, Luan disse que não levanta rótulos. "Não precisa entrar em um movimento para celebrar a igualdade. Isso é muito legal. Todos nós viemos de mulheres, é a coisa mais importante. Acho que a luta é importante, as mulheres conquistaram muito espaço e, se depender de mim, vão conquistar ainda mais".

O show será gravado em Paulínia, interior de São Paulo, nos dias 15, 16, 17 e 18 de agosto. "É um disco mais autoral, só três músicas não são minhas. Terá um cenário meio industrial e vários ambientes. A gente vai falar sobre a vida, vamos tocar música. Vai ser o disco mais diferente que já fiz", adiantou o sertanejo, acrescentando que "1977" irá mostrar todo o processo de criação do projeto.

As convidadas

Luan contou que, para escolher as convidadas, partiu do princípio de chamar cantoras com quem sempre quis dividir o microfone. "Sandy eu sempre quis [cantar junto]. Ivete admiro muito. E tem que combinar. Achar o meio termo é importante, então peguei uma cantora de cada estilo, foi de propósito".

Divulgação /Globo
A atriz Camila Queiroz caracterizada de Mafalda, de "Êta Mundo Bom!" Imagem: Divulgação /Globo

Já a atriz Camila Queiroz veio de uma exibição na internet. "Ela cantou a música do filme 'Jogos Vorazes' no Snapchat, mas ela estava dublando e eu não sabia. Chamei ela para o estúdio, ela cantou para mim afinadinho e ficou bem bacana. Foi legal porque tive que arrancar a voz de dentro dela. Lembra muito a personagem atual dela", contou Luan, referindo-se à Mafalda da novela "Êta Mundo Bom!", da Globo.

Sobre a participação de Marília Mendonça, Luan resumiu em uma palavra: surpreendente. "Acho muito legal quando o artista surpreende, e a Marília é isso. É muito entre mim e ela em relação à música", disse ele. Já a participação de Anitta, Luan disse que a intenção era alcançar a música pop. "O pop está entre a gente, dá para ver em 'Chuva de Arroz'. Acho que esse foi o ponto em comum. 'Vamos gravar um pop que a galera vai escutar para pegar a estrada', pensei. Eu me inspirei em Coldplay e Beyoncé".

E a presença de Ana Carolina, segundo ele, foi quase um desafio. "A Ana é muito perfeccionista. Eu tinha um certo receio de chamá-la porque não saberia se ela iria aceitar. Uma vez ela me chamou e eu fiquei muito surpreso, tinha um sonho de cantar com ela. Acho a voz a mais incrível do Brasil, amo cantar a melodia dela. Eu quis trazer isso, uma música que dê uma sensação ruim e boa ao mesmo tempo. Ela quis compor a música do zero para ter essa energia nossa e foi muito lindo".

Luan contou que ainda não se encontrou com Ivete Sangalo para falar da música que gravarão juntos. "Vai ser uma coisa bem de momento", disse ele, que recentemente participou da gravação do álbum "Acústico", da cantora baiana, lançado em julho. E ainda lembrou que, com Sandy, fez tudo por telefone. "A gente ficava fazendo arranjo pelo telefone. Ela me mandou uma referência do que ela queria".

Questionado sobre a ausência de Paula Fernandes, Luan contou que tem outros planos com a cantora. "Eu e a Paula, na verdade, estamos com outro projeto em andamento, que ela está fazendo. Então decidimos abrir mão aqui". 

Sobre a mulher mais importante da vida de Luan, ele foi direto: "Minha mãe, sem dúvida nenhuma. Foi quem aguentou o sofrimento do começo da carreira".

"1977" será o quinto disco ao vivo do sertanejo. Seu último álbum, "Acústico", foi lançado em 2015.