PUBLICIDADE
Topo

Lenda da gaita no jazz, músico Toots Thielemans morre aos 94 anos

O gaitista de jazz Toots Thielemans - Jos Knaepen/site oficial
O gaitista de jazz Toots Thielemans Imagem: Jos Knaepen/site oficial

Do UOL, em São Paulo

22/08/2016 07h42

O músico belga Toots Thielemans, considerado uma lenda da gaita no jazz, morreu nesta segunda-feira (22), aos 94 anos, disse à Agência France Presse o seu agente, Veerle Van de Poel.

Segundo o representante, o músico "morreu durante o sono" num hospital de Bruxelas. “Morreu de velhice, seu corpo estava simplesmente desgastado”. O músico estava hospitalizado desde o mês passado, após sofrer uma queda.



 

Paixão pelo Brasil

Toots Thielemans foi uma lenda com brilho próprio, mas construiu sua carreira com grandes parcerias do jazz, como Charlie Parker, Ella Fitzgerald e Miles Davis.

A música brasileira, que ascendeu nos anos 1950 com a bossa nova, teve papel importante na sua vida. Ele gravou com Astrud Gilberto, Sivuca e Elis Regina, com quem fez o importante disco “Elis & Toots”, em 1969, com canções como “Wave” e “Aquarerla do Brasil” – até hoje o principal cartão de visita do músico no Brasil.

Voltaria, anos mais tarde, a regravar clássicos do cancioneiro brasileiro no disco “The Brazil Project” (1992). 

 

“Contaminado” pelo jazz

Nascido em Bruxelas em 29 de Abril, em 1922, Jean-Baptiste Frederic Isidore Thielemans começou a tocar a gaita como um hobby e foi "contaminado" pelo vírus jazz durante a ocupação alemã. Alcançou notoriedade como gaitista quando se juntou a turnê da orquestra do norte-americano Benny Goodman, na Europa, em 1950.

Seu maior sucesso é "Bluesette", de 1962, conhecida pelo assovio e guitarra tocadas em uníssono. Sua harmônica peculiar pode ser ouvida também nas trilhas de diversos filmes como “Perdidos na Noite” (1968).

Thielemans, que também tocava guitarra, foi homenageado pela família real da Bélgica em 2001, quando o rei Albert II deu-lhe o título de barão.

Um festival de jazz será realizado em seu nome em setembro na cidade de La Hulpe, cerca de 25 km do sudeste de Bruxelas, onde Thielemans a maior parte da vida.