PUBLICIDADE
Topo

Designer teve cinco dias para criar cenário de show dos Novos Baianos

Mariane Zendron

Do UOL, em São Paulo

03/09/2016 06h00

Quem foi aos dois shows da reunião dos Novos Baianos em São Paulo e no Rio não só ouviu os sucessos do grupo, mas pôde fazer uma viagem aos anos 70, década em que foi gravado o lendário álbum "Acabou Chorare". Isso tudo graças ao cenário criado pelo design Gringo Cardia.

No começo do show, uma caravan psicodélica, com um letreiro iluminado no qual se lia o nome do grupo, trazia Baby, Pepeu, Moraes Moreira e Paulinho Boca de Cantor. No alto, viam-se os baldes coloridos que remetiam à capa do famoso álbum.



Gringo, que já fez capas de álbuns para Chico Buarque, Paralamas, Maria Bethânia e Marisa Monte, nunca havia trabalhado com Novos Baianos, mas sempre que encontrava Baby rolava o combinado: "Um dia vamos trabalhar juntos".

E aconteceu. Um dia Gringo recebe um telefonema com o convite para criar o cenário do show, mas com um aviso importante: ele teria que fazer tudo em cinco dias. "Eu topei, claro. Além do mais, Deus é baiano".

Gringo queria que os cenários levassem o espectador ao ambiente da época quando o grupo vivia junto em um sítio do Rio de Janeiro jogando futebol, fazendo festa e umas músicas que misturavam samba, choro e rock. "Queria que tudo isso traduzisse o grupo, que também era família, trupe, tudo junto. No mesmo lugar, eles cozinhavam, cantavam, lavavam roupa. Quis resgatar esse estilo de vida deles", contou Gringo ao UOL.

Além de sua equipe, Cardia contou com a ajuda do artista Gen Duarte, conhecido pelos seus grafites coloridos espalhados pelas ruas de São Paulo. A caravan foi comprada pela internet por R$ 4 mil. "No dia seguinte ela já estava na oficina para o Gen grafitar e em um dia ele fez tudo". 

A caravan enfeitada tinha outra inspiração famosa, o psicodélico porsche de Janis Joplin. "Mas tinha que ser um carro barato porque os Novos Baianos eram pobres. Tinha que ser uma caravan. E eles moraram mesmo num carro por uma semana, fiquei sabendo depois". A única preocupação era que os integrantes topariam subir na plataforma instalada sobre o carro. "Fiquei com medo que eles não quisessem subir, mas a Baby é muito animada e topou. Os outros todos foram atrás". 

Ainda haverá pelo menos mais duas oportunidades de ver o show da reunião com seus cinco cenário de cores, fitas e muito brilho: no Rio, no dia 3 de setembro, no Metropolitan e Belo Horizonte, dia 10 de setembro no BH Hall.