Topo

Entretenimento

Roberto Carlos fala de TOC e canta "Que Vá Tudo Pro Inferno" em especial

Reprodução /Instagram /robertocarlosoficial
8.nov.2016 - Roberto Carlos canta com Rafa Gomes, do "The Voice Kids", no especial da Globo Imagem: Reprodução /Instagram /robertocarlosoficial

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio

09/11/2016 00h50

Roberto Carlos surpreendeu o público e foi aplaudido de pé ao cantar "Que Vá Tudo Pro Inferno" na gravação do especial da Globo, nesta terça-feira (8) nos estúdios da emissora no Rio de Janeiro.

"Não me lembro mais quando foi a última vez que cantei essa música. Faz muito tempo realmente. De repente os amigos insistiram e comecei a tratar o TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo). Melhorei um pouco e ensaiei cantando pela metade, mas aí tratei mais um pouco e resolvi cantar tudo", disse o cantor que até abraçou o maestro Eduardo Lages para comemorar.

Sucesso de 1965, “Quero Que Vá Tudo Pro Inferno” foi uma das músicas banidas do repertório do cantor na década de 80, quando o TOC se acentuou, aumentando também as manias e superstições do artista.

Antes de cantar a música na noite desta terça-feira, Roberto que se emocionou no palco diversas vezes ao lado de Caetano Veloso, Gilberto Gil e Marisa Monte, se ausentou por alguns minutos e explicou motivo.

"Vocês não sabem a pressão que sofri no camarim agora. Eu tinha desistido de cantar, mas aí não teve jeito", entregou o rei, que repetiu em alto e bom som a palavra Inferno ao cantar a música.

"Isso é só força da expressão", justificou.

A gravação do especial de Roberto Carlos, que vai ao ar em dezembro, foi dividida em dois dias. Na segunda-feira, o cantor recebeu no palco Zeca Pagodinho, Rafa Gomes, do "The Voice Kids", e Milton Guedes.

Newsletters

Receba por email as principais notícias do UOL sem pagar nada.

Quero receber

Mais Entretenimento