Música

Marília Mendonça homenageia mulheres da música: "Que tanto de mulherão"

Do UOL, em São Paulo

08/03/2017 11h20

Marília Mendonça, cantora de sucessos sertanejos como "Infiel" e "Eu Sei de Cor", fez uma homenagem nesta quarta-feira (8) às mulheres da música. "Que felicidade fazer parte dessa geração. Que tanto de mulherão, Brasil", escreveu ela em um texto em seu perfil no Instagram.

Junto com o tributo, ela fez uma montagem com fotos de Ana Carolina, Joelma, Preta Gil, Simone & Simaria e Anitta, entre outras, para definir o que é "mulherão".

"Ser mulherão que significa chegar onde essa turma tem chegado. Ser mulherão que significa se amar do jeito que é. Ser mulherão que significa trazer tanto talento pra esse meio, que muitas vezes é machista. Ser mulherão que é lutar pelos seus sonhos e pelo seu lugar no mundo", escreveu a cantora. 

 

Que felicidade fazer parte dessa geração! Que alegria olhar pra essa foto, mesmo que não estejam todas e falar: "Que tanto de mulherão, Brasil!"... Ser mulherão que significa chegar onde essa turma tem chegado! Ser mulherão que significa se amar do jeito que é! Ser mulherão que significa trazer tanto talento pra esse meio, que muitas vezes é machista! Ser mulherão que é lutar pelos seus sonhos e pelo seu lugar no mundo! Que orgulho... de todas que já chegaram e de todas que estão chegando com o pé na porta arrebentando tudo e mostrando, por que e pra quê estamos chegando! FELIZ DIA INTERNACIONAL DA MULHER PRA VOCÊ QUE É MULHERÃO, na sua luta, na sua vida, sua profissão! Eu morro de orgulho de você! ???????????????????? #perdaoseesquecidealguem FALTOU MUITA GENTE, TEM MUITA MULHER FODA NESSE BRASIL

A post shared by Marilia Mendonça (@mariliamendoncacantora)

 

 

 

 

 

 

 

 

on

Marília, uma das responsáveis pela força das mulheres na atual música sertaneja, diz que não gosta de levantar bandeiras feministas, apesar de lutar constantemente contra o machismo em entrevistas e em suas redes sociais.

Ainda assim, o conceito feminista aparece em suas músicas e atitudes. Recentemente, durante uma participação no "Domingão do Faustão", ela explicou como se sente em relação ao universo predominantemente masculino da música. "Eu escutava músicas e ficava querendo ouvir minha história, mas não encontrava. E quando a mulher cantava, era uma vida de princesa, que eu nunca tive. Nunca fui princesa, meus relacionamentos nem sempre deram certo. E eu precisava ouvir alguém falar [disso]", falou.

Marília também defende constantemente a diversidade de formatos de corpo em suas postagens. Também chamada de gorda por Faustão, ela rebateu que faz música e não sobe em passarela.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
ANSA
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Chico Barney
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
Reuters
Adriana de Barros
Reuters
Música
do UOL
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
AFP
Da Redação
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
Adriana de Barros
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo