Música

"Rei do Forró" se defende após chamar Marília Mendonça de "porcaria"

Reprodução/Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook

Colaboração para o UOL

13/06/2017 17h24

O artista nordestino Alcymar Monteiro, conhecido como "Rei do Forró" usou seu Facebook nesta terça-feira (13) para se defender, após um áudio em que faz duras críticas à sertaneja Marília Mendonça, chamando sua música de “breganejo”, “porcaria” e dizendo que ela “canta para cachaceiro” rodar a internet.

Tudo começou com a campanha “Devolva meu São João”, endossada por artistas como Elba Ramalho, Chambinho do Acordeon e Joquinha Gonzaga, em que eles criticam a maioria de cantores sertanejos nas festas de São João nordestinas, ao invés do tradicional forró.

Durante uma apresentação no São João da Capitá, em Pernambuco, no último domingo (11), Marília Mendonça rebateu a ação. "Vai ter sertanejo no São João sim, viu? Porque quem quer é o público", disse ela.

Irritado com a declaração da sertaneja, Alcymar Monteiro, gravou um áudio detonando a cantora e enviou para um de Whatsapp. A mensagem vazou e ganhou grande repercussão.

“Eu vou abaixar o nível, viu? Não vem aqui em nosso terreiro querer cantar de galo. Aqui quem canta de galo é galo. Galinha aqui não canta não. (...) Deixa a gente em paz, não vem dizer que essa porcaria que você canta é sertanejo, porque é ‘breganejo’. (...) Você canta para cachaceiro, eu canto para família, para as crianças, para os velhos”, diz o forrozeiro no áudio.

Com a divulgação da mensagem, Alcymar foi chamado de machista por internautas e, em resposta, usou seu Facebook para se defender.  Ele assumiu que o áudio é verdadeiro, mas negou machismo. “Em momento nenhum tive uma postura machista. Eu abomino o machismo. Sou, sempre fui e sempre serei um homem feminista. (...) Pessoas vis estão tirando uma frase, um dito popular, fora do contexto e chegando ao absurdo de dizer que eu xinguei alguém de 'galinha'. Quem me conhece sabe que isso é um absurdo sem precedentes”, disse ele.

Apesar disso, o cantor falou que as festas de São João nordestinas “têm dono”, “Que é Luiz Gonzaga do Nascimento. Acima disso, abaixo disso, além disso e fora disso não é São João. Podem chamar de qualquer coisa, podem apelidar de Festival Junino, podem chamar do que quiserem, mas por favor não usem o nome de São João em vão. As festas de São João não foram concebidas para competir quem faz o maior ajuntamento de gente”, opinou ele.

Alcymar finaliza, reafirmando sua indignação com a ‘invasão sertaneja’. “Isso que falei no áudio é uma pequena amostra da dor que milhares de nordestinos sentem pelos crimes que estão fazendo com nossa cultura. Desde uma versão pornográfica do segundo hino que esse país tem, Asa Branca, até essa invasão bárbara de culturas que nada têm a ver conosco”, discursou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
BBC Brasil - Cultura
do UOL
ANSA
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Chico Barney
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
Reuters
Adriana de Barros
Reuters
Música
do UOL
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
AFP
Da Redação
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
Adriana de Barros
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
Topo