Música

Show de Pabllo Vittar tem acusações de agressões e LGBTfobia

Leocadio Rezende/UOL
Pabllo Vittar Imagem: Leocadio Rezende/UOL

Do UOL, em São Paulo

03/07/2017 16h08

A festa "A Maior do Baile", promovida pela Medicina UFRJ no sábado (01), que tinha como atração principal a drag Pabllo Vittar, diz que acabou com relatos de violência e casos de agressão.

A Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual (CEDSRIO), segmento criado pela prefeitura do Rio de Janeiro, afirmou, por meio de comunicado, que recebeu inúmeras denúncias de LGBTfobia durante o show do cantor no clube Monte Líbano.

Segundo o órgão, Jobson José dos Santos Júnior e Luciana Vasconcellos foram atendidos no hospital Miguel Couto, e relatam que receberam chutes e socos de seguranças. Rhariane Maia e Lucas Pinheiro também acusam a equipe do local de truculência e LGBTfobia. A CEDSRIO também menciona que a trans Indianara Siqueira, candidata à vereadora pelo PSOL nas últimas eleições, foi outra agredida.

No Facebook, Jobson escreveu um longo depoimento sobre o ocorrido. Integrantes do coletivo "Casa Nem" foram convidados à festa da UFRJ e "ao começar o show de Pabllo Vittar descemos para ver a possibilidade de Indianara Siqueira subir ao palco representando o coletivo, já que éramos 'convidados de honra' de tal festa".

O filiado ao Partido Verde declarou que tantos os seguranças do cantor e do evento foram agressivos com os integrantes do coletivo: "Praticamente todos os seguranças da festa vieram nos agredir e tivemos que reagir".

Procurada pelo UOL, a assessoria de Pabllo Vitar disse que o cantor estava no palco, se apresentado, e não presenciou os fatos. Os seguranças acusados eram "do evento, e não vinculados ao artista". A equipe do parceiro de Anitta na música "Sua Cara" ainda disse que "estão buscando por respostas junto à organização do evento". A nota oficial ainda reitera que Pabllo "não tem equipe de segurança e não acompanhou os fatos relatados".

As vítimas de preconceito se reunião na terça-feira (04) com o Coordenador Especial da Diversidade Sexual do município, Nélio Georgini, e o Coordenador do Rio Sem Homofobia, Fabiano Abreu, no Palácio da Cidade, em Botafogo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
TV e Famosos
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
Erratas
do UOL
Blog do Matias
EFE
EFE
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
AFP
do UOL
Topo