Música

Com K-pop em ascensão, grupo coreano percorre o Brasil de São Paulo ao Acre

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

14/07/2017 04h00

Um fenômeno curioso trouxe ao Brasil um grupo de k-pop formado há apenas quatro meses. Com 6 sul-coreanos e 1 japonês na faixa dos vinte e poucos anos, o BLANC7 (pronuncia-se blán séven) fechou uma série de apresentações na América do Sul após notar que os brasileiros chegavam a dominar até 90% das interações com os artistas nas redes sociais.

Shinwoo, Jean Paul, Teno, D.L, Spax, K. Kid e Taichi chegaram ao Brasil há uma semana. Desde então eles já se apresentaram no Anime Friends, em São Paulo, e fizeram um evento com fãs em Curitiba. Entre uma cidade brasileira e outra, deram um pulinho em Assunção para atender os fãs paraguaios.

O BLANC7 segue no Brasil e se apresenta de novo em São Paulo neste sábado (15), na primeira edição do KEX, evento de cultura coreana. Os meninos finalizam a turnê sul-americana no domingo (16), em Rio Branco, fazendo história como o primeiro grupo de K-pop a se apresentar no Acre.

Gabo Morales/UOL
Imagem: Gabo Morales/UOL

Google Tradutor ajuda

Com a ajuda de um tradutor, o UOL conversou com os sete integrantes sobre o fenômeno e as curiosidades na recente interação com os brasileiros. Apesar de o inglês aparecer nos versos de algumas canções, o grupo não domina o idioma. Eles cantam e se comunicam em coreano, prezando pela cultura local. 

"Os fãs brasileiros se esforçam para escrever coreano. Nas interações, percebemos que alguns dominam o japonês e usam ferramentas para traduzir do japonês para o coreano", conta D.L.

Shinwoo lembra que eles também recorrem ao Google Tradutor quando as mensagens chegam em português. "Ajuda a gente a entender a língua. Eu, por exemplo, já consigo entender quando é um homem ou mulher escrevendo", diz, lembrando do exemplo de "obrigado e obrigada."

O efeito imediato da onda coreana no Brasil é um aumento na busca por cursos do idioma, alguns deles no próprio Centro Cultural Coreano, onde o grupo conversou com a reportagem.

Aos poucos, os fãs brasileiros também vão se adaptando ao estilo de tietar seus ídolos. Conhecidos internacionalmente pela histeria, os adolescentes brasileiros se controlam para serem respeitosos e seguir as regras mais rígidas importadas da Coreia. Há o momento certo para fotos, aplausos e interação, tudo organizado previamente. 

"Os fãs brasileiros são respeitosos e mantém a distância quando é pedido", destacou D.L. Teno, porém, lembrou que os brasileiros "expressam melhor os sentimentos" e "passam uma energia fantástica" para eles.

Anitta e "obrigadeiro"

Gabo Morales/UOL
D.L gostou de Anitta e Bonde do Tigrão Imagem: Gabo Morales/UOL

Mas toda essa formalidade não reflete necessariamente no comportamento do grupo. Entre eles, os integrantes são brincalhões e dizem curtir até um som de Anitta. Um dos mais extrovertidos, D.L se declarou fã da cantora brasileira e do "Bonde do Tigrão".

A turnê no Brasil rendeu ainda uma visita ao Centro de Treinamento do Corinthians, onde os coreanos puderam conhecer todo o elenco do time e uma caminhada de uma hora e meia pelo centro de São Paulo que acabou com um bate-bola com um grupo que jogava no Vale do Anhangabaú.

Brigadeiros, iguaria oferecida por 9 em cada 10 fãs, acabou virando piada entre eles depois de uma confusão com o nome do doce e a saudação de agradecimento. "Obrigadeiro" caiu nas graças dos fãs.

Até agora, o balanço da troca cultural entre países tão distantes tem saldo positivo. "Antes de eu vir ao Brasil me alertaram que era muito perigoso. Mas senti confiança nas pessoas e aos poucos vi que era algo que não precisaria me preocupar", diz Teno, rapper principal e dançarino do grupo.

Só o esforço de viajar entre São Paulo e Rio Branco prova o investimento da indústria de entretenimento coreana para conquistar de vez o mercado brasileiro. A distância de 3.600 kms viajada entre as cidade é o mesmo que fazer cerca de onze viagens entre Busan e Seoul, o que corresponde a cruzar toda a Coreia do Sul.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
Adriana de Barros
UOL Música - Imagens
Colunas - Ricardo Feltrin
do UOL
do UOL
Da Redação
do UOL
Blog do Matias
TV e Famosos
do UOL
do UOL
Da Redação
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
TV e Famosos
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
Topo