Música

Hanson é sincero sobre a nostalgia da banda: "Sempre estaremos condenados"

Divulgação
Os irmãos Hanson comemoram 25 anos de banda com três shows no Brasil Imagem: Divulgação

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

25/08/2017 04h00

Os irmãos Hanson voltam ao Brasil para comemorar os 25 anos da banda em uma turnê nostálgica que traz todos os hits da carreira e a novata "I Was Born". Mas esse olhar para o passado incomoda os integrantes? O baterista e vocalista Zac é sincero. “De um jeito ou de outro, sempre estaremos condenados, porque a última coisa que você fez também é a última que o público quer ouvir. Mas estou muito orgulhoso do que fizemos e por isso ainda podemos fazer uma turnê como essa”, diz o músico em entrevista ao UOL.

Zac admite que se coloca no lugar do público e que também gostaria de ouvir faixas antigas de suas bandas preferidas - e não há problema algum com isso. "Eu, como fã de música, tenho algumas músicas que são importantes e que eu gostaria de ouvir ao vivo. Então não diria que sinto frustrado [por tocar sempre os mesmos hits], sinto que estou dividindo meu trabalho". 

A novidade da turnê é um single, sonoramente, "diferente do que fizemos no passado" e "poeticamente simples", mas que entrega a fase atual do trio. "Em um mundo onde, às vezes, parece que só existem notícias ruins, acho importante mandar mensagens para lembrar que você está aqui com um propósito maior e se você quer mudar o mundo, simplesmente faça isso", acrescenta Zac.

O Hanson começou a perna brasileira da turnê sul-americana no Rio de Janeiro na quinta (24) e ainda vai passar por Belo Horizonte (Km de Vantagem Hall, no dia 25) e São Paulo (Citibank Hall, dia 26). "O nível de paixão [dos brasileiros] acredito que faça parte da cultura. Não tivemos tantas turnês pelo país, mas vemos fãs viajando o mundo para nos ver", opina o músico.

Esse "nível" de engajamento não fica restrito apenas às apresentações. "O comprometimento e entusiasmo são impressionantes. Sempre quando vamos ao Brasil os nosso fãs aparecem nos hotéis e nos shows, e ficam cantando as músicas a pleno pulmões. Não tem como não fazer sorrir".

Pop atual

Zac tinha apenas 11 anos quando sua banda estourou no mercado mundial. "Middle of Nowhere", de 1997, vendeu 10 milhões de cópias e colocou na cultura pop o hit (que todo mundo ainda se perde para cantar) "MMMbop". Mas o trio tocava junto desde 1992 e tinha no rock n' roll da década de 1950 e 1960 a base musical, mostrando que os adolescentes não eram apenas produtos do mercado e realmente tinham talento.

Reprodução
Zac Hanson com a filha mais nova, Mary. Imagem: Reprodução

"Como sempre, tem música pop boa e tantas outras terríveis. Eu espero que a gente acabe entrando na categoria boa", brinca Zac. "Sinto que agora tem um movimento que eu aprecio mais do que nos anos anteriores e você ouve artistas como Bruno Mars e The Weeknd, que têm uma conexão maior em um som mais orgânico do que coisas que soam totalmente processadas. Acho que encontrar esse balanço é o ideal", completa.

Os irmãos ficaram fascinados nas músicas antigas, graças a um disco compilado de grandes hits de 1958. "Fiquei muito triste que Chuck Berry morreu neste ano. Tem uma coisa nos anos 50, porque era tão simples. A ideia era sempre encontrar o coração da música e tocar alto. Isso é um talento que qualquer um pode aprender".

Zac já passou da casa dos 30 e é pai de família. Ano passado, o músico celebrou o nascimento de seu quarto filho (mais uma banda de irmãos por aí?) com a mulher Kate, casados há 11 anos. Conseguindo fama e dinheiro o suficiente para o resto da vida quando ainda era menor de idade, o Hanson afirma que não ficou perplexo pelo sucesso nem virou um "bad boy" porque tudo foi acontecendo sem querer.

"Acho que, para mim, a razão de ficarmos firmes foi que nunca quisemos ser famosos. Na verdade, queríamos ser uma banda e o resultado disso foi a fama. É incrível termos fãs gritando, garotas e todas essas coisas. Claro que tudo isso nos move, mas é inegável que meu sonho é transmitir minha experiência. Quando era criança, ouvia o rock dos anos 60, ouvia músicos que me faziam querer cantar, sabe? E eu quero isso para a próxima geração", garante Zac.

Serviço:

Hanson no Brasil

Belo Horizonte (MG)
Quando
: Sexta-feira, 25 de agosto de 2017, às 21h30
Local: KM de Vantagens Hall BH (antigo BH Hall) – Belo Horizonte (MG) - Av. Nossa Senhora do Carmo, 230 – São Pedro
Ingressos:
Pista e Arquibancada: R$ 220 (inteira - 1° lote)

São Paulo (SP)
Quando
: Sábado, 26 de agosto de 2017, às 21h30
Local: Citibank Hall - Av. Nações Unidas, 17.955 - São Paulo – SP
Ingressos: Camarote e Pista Premium - R$ 450 (inteira)
Camarote II - R$ 380 (inteira)
Pista - R$ 200 (inteira)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

UOL Música - Imagens
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Matias
do UOL
UOL Entretenimento
Erratas
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Música
Música
AFP
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Blog do Matias
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
Reuters
Da Redação
Estadão Conteúdo
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
AFP
Topo