Música

Entre fotos e poesias, 10 coisas imperdíveis na exposição de Renato Russo

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

06/09/2017 04h00

O líder da Legião Urbana nunca teve sua intimidade tão saliente quanto na exposição "Renato Russo", em cartaz a partir desta quarta-feira (06) no Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo, com mais de mil objetos pessoais do cantor -- o maior evento da história do museu. De desenhos feitos na infância a inúmeras poesias e composições clássicas do Aborto Elétrico e da Legião, a mostra é um prato cheio para os fãs de um dos compositores mais importantes da história do rock nacional. O UOL selecionou alguns detalhes (muito) curiosos de "Renato Russo", uma homenagem à vida e ao legado do músico.

Renato Russo bagunceiro

Ricardo Matsukawa / UOL
Renato de castigo Imagem: Ricardo Matsukawa / UOL

Quando ainda era conhecido por Renato Manfredini Júnior, o futuro cantor já demonstrava criatividade em seus trabalhos escolares. Mas as excelentes notas no boletim da segunda série não excluíam a possibilidade de bagunçar um pouco. Em uma das peças mais curiosas da exposição, Renato foi obrigado pela professora a escrever a frase "não devo rasgar o caderno do colega" dezenas de vezes em uma folha inteira de caderno, provavelmente após uma rixa com alguma criança de sua classe.

Com um currículo desse...

Ricardo Matsukawa / UOL
Currículo de Renato Russo em 1989 Imagem: Ricardo Matsukawa / UOL

Caso você esteja procurando emprego, saiba que, mesmo depois de todo o sucesso da Legião Urbana, o compositor ainda tinha seu currículo em 1989. O detalhe precioso é de fazer inveja para qualquer um, já que ele deixa bem claro que é contratado pela gravadora EMI e é líder da banda, que até no final dos anos 80 já tinha lançado "Legião Urbana", "Dois", "Que País É Este" e "As Quatro Estações".

"Tempo Perdido" 360 graus

Ricardo Matsukawa / UOL
Tecnologia é sempre uma atração Imagem: Ricardo Matsukawa / UOL

Com um óculos de realidade virtual, é possível ver um "clipe" do hit "Tempo Perdido". Diversas pessoas interpretam a música e você adentra em cada ambiente, literalmente em 360 graus. Em dado momento, o clipe coloca o público sobre uma ponta em São Paulo, com o rio aos seus pés e os carros passando ao lado.

Quarto de Renato

Ricardo Matsukawa / UOL
Quarto de Renato Russo Imagem: Ricardo Matsukawa / UOL

Simplicidade é o que define Renato como pessoa. Como salientou o ex-diretor do MIS e curador, André Sturm, a exposição segue a linha clássica que o compositor adotou em vida. Um exemplo é o seu quarto, um ambiente sem luxo algum, com apenas uma cama, alguns quadros e cômodas. Sturm também disse que os organizadores mantiveram exatamente o que observaram quando o filho de Renato, Giuliano Manfredini, abriu as portas do apartamento do pai para selecionar peças para a exposição.

Cartas dos fãs

Ricardo Matsukawa / UOL
Todo o carinho dos fãs para o ídolo Imagem: Ricardo Matsukawa / UOL

As escadas que levam ao segundo andar do MIS estão recheadas com milhares de cartas que Renato recebia dos fãs e guardava com carinho. Agradecimentos, beijos, relatos pessoais, fotos, pôsteres e tudo o que você imaginar estão lá. O trecho é um dos mais emotivos da exposição, principalmente pela forma como a organização exibiu os pedidos do público, dando a impressão de estar submerso no carinho dos seguidores.

Menudo de influência

Ricardo Matsukawa / UOL
"Hoje a noite não tem luar"... Imagem: Ricardo Matsukawa / UOL

Uma das partes mais legais da exposição sobre Renato Russo é a sala das influências, onde estão discos de rock, punk, pós-punk e new wave que ele adorava, mas também livros, filmes e revistas. E sabe o que tinha lá? Não um, mas dois discos da boy band latina Menudo, formada no final dos anos 70. O cantor já tinha mostrado que admirava o grupo quando fez uma versão em português para "Hoy Me Voy Para México", que no "Acústico MTV" virou "Hoje a Noite Não Tem Luar". A sala é toda espelhada, como um grande cubo em que os objetos acabam se multiplicando.

Diário sobre sua saúde

Ricardo Matsukawa / UOL
Renato sempre escrevia sobre seus medos e aflições Imagem: Ricardo Matsukawa / UOL

Renato gostava de registrar tudo o que acontecia na sua vida. São cadernos e mais cadernos com composições, reflexões sobre álbuns com a Legião, desenhos e interpretações pessoais. Na década de 90, alguns anos antes de morrer em decorrência do HIV positivo, uma anotação chama a atenção. O vocalista afirma, em inglês, "isso é sério, talvez eu esteja morrendo, seriamente doente. Não posso encarar isso, estou assustado".

Tarôs e mapa astral

Divulgação/Acervo Renato Russo
Esoterismo no MIS Imagem: Divulgação/Acervo Renato Russo

O cantor era fascinado por esoterismo e o tema ganhou destaque na mostra "Renato Russo". Centenas de cartas de tarô (muito detalhadas por sinal) que o músico colecionava, estudos sobre mapa astral e horóscopo faziam parte de seu cotidiano.

"E agora, Legião?"

Ricardo Matsukawa / UOL
Renato guardava notícias sobre as bandas Imagem: Ricardo Matsukawa / UOL

A exibição acerta em resgatar programas de televisão, músicas e notícias sobre a banda. Uma delas é um curioso show nos anos 80 que nada deu certo, o público ficou na bronca e diversos veículos notificaram o caso como uma "tragédia". Todo o material usado estava no apartamento de Renato e o vocalista guardou as notícias que saíram no dia seguinte para posteridade.

Eduardo e Mônica

Divulgação/Acervo Renato Russo
Desenho de Eduardo e Mônica Imagem: Divulgação/Acervo Renato Russo

Uma das músicas mais idolatradas de Renato, "Eduardo e Mônica" foi lançada no álbum solo "O Trovador Solitário" e depois virou hino ao integrar o trabalho "Dois", de 1986. O esboço acima foi feito em 1977 com os personagens principais da obra. 

Serviço:

Exposição "Renato Russo" no MIS

Data: 6 de Setembro de 2017 a 28 de Janeiro de 2018
Horário: 10h às 21h (terça a sábado); e 9h às 19h (domingos e feriados). A bilheteria abre 30 minutos antes da visitação.
Local: Museu da Imagem e do Som – MIS (Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo)

Ingressos antecipados:
Pré-estreia
Data: 6 de setembro
Horário: 10h às 21h
Valores: R$ 80,00 (inteira) e R$ 40,00 (meia-entrada e visitantes que trouxerem um livro de ficção em bom estado, campanha Leia um livro).
Pelo site: www.ingressorapido.com.br/renatorussonomis
Todos os visitantes que comparecerem à pré-estreia ganham um pôster exclusivo da exposição.

Primeiras semanas pelo site www.ingressorapido.com.br/renatorussonomis
Valores R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia-entrada)

Ingressos na bilheteria 07.09 (quinta-feira; feriado) e 10.09 (Domingo) R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia), na bilheteria do MIS.
Terças-feiras entrada gratuitas. Crianças até 5 anos não pagam

Mais informações: (11) 2117 4777 | www.mis-sp.org.br

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
Blog do Matias
Reuters
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
AFP
Reuters
do UOL
do UOL
AFP
Adriana de Barros
do UOL
AFP
Chico Barney
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Matias
BBC
do UOL
do UOL
Colunas - Flavio Ricco
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Do UOL
do UOL
AFP
Topo