Música

Marília Mendonça lembra "praga": "Chamava sertanejo de música de corno"

Reprodução/Globo
Marília Mendonça no "Conversa com Bial" Imagem: Reprodução/Globo

Colaboração para o UOL

15/09/2017 07h46

Marília Mendonça falou sobre traição, mote de boa parte de suas músicas, e como se tornou cantora sertaneja no "Conversa com Bial" de quinta-feira (14). Ela, que soltava a voz com pop e rock no começo da adolescência, admite que não cogitava aderir ao gênero que nos últimos anos domina o país.

"Eu era uma das pessoas que chamava sertanejo de música de corno, até acontecer comigo, até eu ser corna", diverte-se, contando como tudo começou. "Foi uma praga. Estava cantando embaixo de uma árvore quando chegou um cara dizendo: 'já pensou em fazer uma dupla, cantar sertanejo em Goiânia?'. Respondi: 'Vou cantar sertanejo de jeito nenhum'. Ele disse: 'um dia você vai levar chifre e vai não só cantar sertanejo, mas também compor'. Aconteceu, igualzinho".

Marília comenta que ainda é comum as mulheres responsabilizarem a outra pela traição, quando na verdade deveriam descontar o ódio nos maridos que pulam a cerca. "Se fala tanto em feminismo e a mulher ainda culpa a outra (pela traição). Se o cara é casado comigo, está do meu lado, é meu namorado, quem me trai é ele. Como vou culpar a amante se eu não tinha nada com ela?", questiona.

A cantora é bastante procurada para ouvir casos reais. "A galera se apega muito na Marília conselheira. Já chegaram várias mulheres chorando no camarim, dizendo que acabaram de terminar com o infiel. Já recebi muitos directs (mensagens privadas) no Instagram contando histórias e pedindo pra não divulgar. Pode mandar, gente, estou precisando de inspiração", brinca.

As amantes também vêm em peso desabafar "A maioria das histórias que recebo é de amante, perguntando se o cara vai largar a mulher. Isso é coisa que eu nunca vi acontecer. Os homens pensam que o casamento é o mais importante, não ela".

Para quem passa por isso, aconselha: "Trair de volta não resolve muito, o melhor é terminar, acabar com tudo. Se continuar amando se vira, ama outra pessoa. Tudo é uma questão de costume".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Matias
do UOL
UOL Entretenimento
Erratas
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Música
Música
AFP
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Blog do Matias
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
Reuters
Da Redação
Estadão Conteúdo
Adriana de Barros
Topo