Música

Caetano processa MBL por acusação de pedofilia e vira assunto mundial

Manuela Scarpa/Brazil News
Caetano Veloso se apresenta em São Paulo em turnê em que divide o palco com os filhos Moreno, Zeca e Tom Veloso Imagem: Manuela Scarpa/Brazil News

Do UOL, em São Paulo

21/10/2017 15h02

Caetano Veloso e sua mulher/empresária Paula Lavigne estão processando por danos morais o MBL (Movimento Brasil Livre), seus coordenadores Kim Kataguiri e Renan Santos e o ator Alexandre Frota, após acusações de pedofilia, confirmou a própria página.

A polêmica começou depois que uma entrevista de Paula para a revista Playboy, em 1998, voltou a circular na imprensa após o casal protestar contra casos de censura em exibições artísticas. Ela afirmou que tinha 13 anos quando perdeu sua virgindade com o músico, com 40 anos na época. 

Veja também

Segundo o site "Jornalistas Livres", Caetano pede uma indenização de R$ 100 mil de cada um dos réus e a retirada das páginas do MBL "de 24 publicações consideradas ofensivas aos autores da ação, sob pena de multa diária de R$ 5 mil".

No processo consta que o MBL tem por prática habitual "perseguir, caluniar e achincalhar os Autores", como divulgou o "Jornalistas Livres".

O Movimento Brasil Livre, entre os dias 7 e 10 de outubro, fez 24 postagens sobre os defensores da exposição "Queermuseu", organizada pelo banco Santander e que foi encerrada por grupos que condenaram a mostra como incentivadora da pedofilia e zoofilia. 

A hashtag "#CaetanoPedofilo" foi parar nos trending topics mundiais neste sábado (21), com mais de 60 mil tweets, e o tema vem causando discussões acaloradas online.

Paula Lavigne se pronuncia

No final da noite de sábado (21), Paula Lavigne foi ao Instagram confirmar que ela e Caetano iniciaram ações judiciais contra aqueles "que iniciaram uma campanha difamatória" contra o casal.

"Caberá à justiça julgar as ofensas disseminadas pelo grupo que está conduzindo essa campanha. Estamos tranquilos quanto a isso. Agradecemos a solidariedade que temos recebido de amigos e fãs. Nossa agenda não é política, é humana", escreveu a empresária.

"Deixemos para o judiciário decidir sobre os ataques incessantes de quem não tem conteúdo a oferecer, apenas ódio", concluiu.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
TV e Famosos
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
AFP
Adriana de Barros
Adriana de Barros
do UOL
Blog do Matias
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
Blog do Matias
Reuters
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
AFP
Reuters
do UOL
do UOL
AFP
Adriana de Barros
do UOL
AFP
Chico Barney
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
Topo