Música

Ministério Público abre inquérito para tirar do ar clipe de funkeiro mirim

Reprodução
Cena do clipe Vem e Brota Aqui na Base, do MC Doguinha Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

08/11/2017 18h42

O Ministério Público do Rio instaurou um inquérito civil para retirar do YouTube o videoclipe de "Vem e Brota Aqui na Base", do funkeiro mirim MC Doguinha, que tem 12 anos. A informação foi publicada nesta quarta (8) pelo jornal "O Globo" e confirmada ao UOL pelo órgão.

O vídeo, que tem mais 12 milhões de visualizações, mostra o garoto cantando em frente a uma mansão, ao lado de um carro de luxo e em uma piscina, onde ele sensualiza com uma adolescente. A letra traz os versos "A novinha linda, que mora aqui do lado/Ta cheia de papim no whatsapp/Bumbum gostosão, corpo sedutor/Foi por isso que o doguinha se encantou/Vem e brota aqui na base/Vamos fazer sacanagem/Sei que você tem vontade/Então senta um pouquinho".

"Após análise do vídeo, verificou-se que as imagens mostram um adolescente, de 12 anos de idade, conhecido como MC Doguinha, fazendo apologia a práticas erótico-sexuais", afirma o Ministério Público em nota. "A conduta vulnera os princípios da proteção integral da criança e do adolescente e da finalidade social da internet."

Segundo o Ministério Público, os promotores notificaram o Google e a produtora Legenda Funk, responsável pelo clipe, que foi postado no dia 25 de outubro deste ano. Eles têm até 30 dias para tirar do ar o vídeo. Uma cópia do ofício também foi remetida às promotorias de Infância e Juventude de Duque de Caxias, onde mora o funkeiro, "para que adotem medidas cabíveis visando à proteção individual do menor".

Procurados pelo UOL, a produtora Legenda Funk, Google e representantes de MC Doguinha não responderam os pedidos de entrevista até o momento da publicação desta reportagem.

"Vem e Brota Aqui na Base" foi lançada originalmente pela produtora Legenda Funk em junho deste ano em uma versão alternativa, trazendo um vocal feminino no meio da música que versa: "Gosto muito de orgia/O que eu quero sempre fiz/Tô fora de casamento/Quero gozar e ser feliz/Casamento é o c (*)/ P (*) que é legal/Meto de dia, de tarde e de noite/Eu sento no p (*)"

Crianças "proibidonas" na mira

A divulgação da música de Doguinha recebeu críticas nas redes sociais durante as últimas semanas por associar conteúdo erótico a crianças. Esta não é a primeira vez que um funkeiro mirim do gênero proibidão, estilo que conta com nomes como os MCs Pikachu, Pedrinho e Brinquedo, tem problemas com a Justiça. Em 2015, o Ministério Público conseguiu uma liminar que proibiu MC Pedrinho, na época com 13 anos, de fazer shows. A Vara da Infância e da Juventude ainda obrigou os produtores a retirar o conteúdo da criança da internet.

Atualmente, o MPSP investiga o conteúdo erótico e apelos sexuais em músicas e coreografias de várias crianças e adolescentes que cantam funk, incluindo os MCs Melody, Brinquedo, Pikachu, Bin Laden, 2k e Princesa e Plebeia.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Matias
Blog do Barcinski
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
TV e Famosos
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
AFP
Adriana de Barros
Adriana de Barros
do UOL
Blog do Matias
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
Blog do Matias
Reuters
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
AFP
Reuters
do UOL
do UOL
AFP
Adriana de Barros
do UOL
Topo