Música

Fãs de novela, portugueses lançam versão metaleira de hit dos Paralamas

Divulgação
Banda portuguesa de metal Moonspell Imagem: Divulgação

Maurício Dehò

Do UOL, em São Paulo

24/11/2017 04h00

Lançada em 1989, no disco "Big Bang", a música "Lanterna dos Afogados" virou um dos grandes hits dos Paralamas do Sucesso, chegando a ganhar versão de astros como Gal Costa. Quase três décadas depois, um cover inusitado vindo de Portugal surgiu para dar novas cores ao clássico. Cores sombrias, já que estamos falando da banda Moonspell, de gothic  metal.

Ouça como ficou:

O curioso é saber como "Lanterna dos Afogados", uma canção tão distante do som mais pesado do grupo, virou uma opção para aparecer no álbum mais recente, "1755", lançado em outubro. E entender a escolha é conhecer mais da relação que os portugueses têm com a cultura brasileira. Líder da banda, o vocalista Fernando Ribeiro contou que o Brasil sempre esteve muito presente na sua vida. Pelo menos na TV.

"Desde criança nós víamos, religiosamente, as novelas brasileiras. As famílias se sentavam depois do telejornal e milhões de pessoas viam 'Roque Santeiro', 'Tieta', 'O Bem Amado', 'O Astro', entre outras que foram uma enorme influência na cultura popular portuguesa”, disse ele, ao UOL. "Lanterna dos Afogados" apareceu na trilha de "Rainha da Sucata", folhetim de 1990 da Globo.

Divulgação
Fernando Ribeiro escolheu um simpático bode para lhe acompanhar nas fotos promocionais de "1755" Imagem: Divulgação

"Meus colegas viam nela apenas uma canção das novelas, mas eu sempre fui sensível à mensagem e à nota de tristeza deste tema dos Paralamas. Quando convenci a banda, eles viram a luz da lanterna", brincou ele. "É uma letra que podia ser portuguesa, de locais como Vila do Conde e da Costa Portuguesa, onde ainda se acendem lanternas para os pescadores que vão ao trabalho."

Na versão do Moonspell, a música ganha muito teclado, guitarras pesadas, um andamento arrastado e uma interpretação dramática de Fernando - que varia de vocais graves, aos guturais, passando ainda por trechos com a voz "limpa". Apesar de o público-alvo ser o do metal, ele espera que os fãs do Paralamas em geral curtam a versão, que tem sido usada inclusive em posição de destaque, para fechar os shows da banda.

"Gosto muito dos Paralamas, mas esta era a canção que para mim fazia todo o sentido terminar este disco. Só espero que os fãs do Paralamas entendam o estilo, o tributo e a homenagem, que é honesta. Os portugueses sabem mais da cultura brasileira do que da política, futebol, carnaval. Os protagonistas são artistas desde Roberto Carlos a Chico Buarque. E Portugal é mais que o fado; esperamos que o Brasil também descubra o Portugal 'dark', por meio do nosso disco.”

Além do gosto pelos Paralamas, Fernando Ribeiro cita o Sepultura como uma influência mais direta para o som do Moonspell, além das bandas Sarcófago e The Mist, também pioneiras no metal extremo. "Esse é o Brasil que me inspira, mais que a Tropicália. Coisas como Zé do Caixão, (os livros) 'Vampiro de Curitiba' e 'Poema Sujo' têm cada vez mais se tornado influências pessoais", citou ele.

A banda Paralamas do Sucesso foi procurada, mas preferiu não falar sobre a versão do Moonspell.

Relembre o original:

Relação conturbada com o Brasil?

Apesar de ter sido uma das atrações da edição de 2015 do Rock in Rio, o Moonspell tem um histórico - segundo eles mesmo - complicado com o Brasil. Enquanto em outros países as casas enchiam, no país "irmão", "tocávamos para centenas de pessoas e, de vez em quando, nem isso". A participação no festival mudou o status do grupo, que conseguiu uma apresentação de maior destaque em São Paulo, também em 2015.

Agora, os planos são de passar pelo Brasil em abril, durante uma turnê pela América Latina. Nesta parada, devem ser duas ou três datas, mas, como o álbum "1755" é todo em português, o interesse é em investir mais pesado por aqui, até pela reação positiva ao disco até agora. "Precisamos crescer e isso não se faz sem trabalho. A responsabilidade é nossa, e o Brasil está nas nossas prioridades por muitas razões e afinidades."

Divulgação
Capa do mais recente disco do Moonspell, "1755" Imagem: Divulgação

Sobre "1755", Fernando explicou que se trata de uma obra conceitual. O disco conta a história de um terremoto que marcou a história de Portugal, como um dos mais devastadores sentidos por lá e resultou em dezenas de milhares de mortes. Foi a partir dele que o país se viu obrigado a deixar de vez a Idade Média em busca de tempos mais modernos, o que levou também a revoluções religiosas e sociais.

A novidade para o Moonspell foi fazer um disco inteiro em português, deixando um pouco de lado o inglês da maioria de suas músicas. "Era uma questão de nos mantermos genuínos à história e o uso do português era obrigatório. Não podia dizer Lisbon, para Lisboa, ou Portugal como se diz em inglês, tinha de ser na nossa língua nativa, até para aumentar o dramatismo e a expressividade das letras", explicou Fernando, pouco preocupado com sucesso comercial em outros países. "Os músicos devem se preocupar mais em como contar bem a história, como fazer chegar o seu conceito às pessoas. Isso, para mim, é ser músico. Em todo o caso e até pelas críticas e entusiasmo dos países que não falam Português, isso não tem sido um problema."

Veja abaixo o clipe de "In Tremor Dei", também do álbum "1755".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
Blog do Matias
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Chico Barney
do UOL
Adriana de Barros
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
DW
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
AFP
Chico Barney
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
UOL Música - Imagens
Adriana de Barros
do UOL
Adriana de Barros
UOL Entretenimento
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
UOL Entretenimento
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
Topo